17 de julho de 2011

E os vagalumes...

Era para ter sido postado na quinta, mas eu esqueci! Entäo, resolvi postar hoje, só para näao deixar voces sem.

Olá! Mais um post nesta coluna! Hoje eu volto com um texto meu. É em um formato diferente, é um poema. Espero que gostem.

Não basta só acreditar

Acho que você nunca irá realmente saber
O que eu realmente sinto por você
Será que se você crescer
Poderá me compreender?

É imprescindível que eu pare de voltar atrás
O passado é passado, não posso desejar reviver.
E mesmo assim...
Os sentimentos ainda rondam sobre mim

Eu quero ver teu sorriso e ouvir tuas palavras
Mas eu também quero esquecê-los
Quero poder dar boas risadas
Contudo, tudo isso não passa de devaneios

Parece que tudo acabou
De um momento a outro
As chamas viraram cinzas
E meu sorriso não retornou
E só vieram novos contos
É tudo ruínas

Quero poder sorrir novamente
Rir novamente
E acreditar novamente

Que tudo pode dar certo
E que sonhos tornam-se realidade
Que errar nem sempre é o correto
E que ser eu é o suficiente
Que tudo acontece por um motivo

Então, que o tempo mostre-me o motivo
Das lágrimas, tristezas e raivas
Dos sorrisos perdidos e saudades
Que o tempo cure meu coração
E que o faça acreditar
Que o amor existe, e que apesar de mágoas
São elas que trarão felicidade


Comentário
Acho que os fins são sempre temíveis de algum modo. Eu até tenho um texto sobre isso só que não o localizei nos meus arquivos. E quando algo termina, a gente fica em um estado miserável de dúvida e nostalgia. E a gente fica querendo que não tivesse tido um fim, que não era a hora certa e que não era como realmente deveria terminar. Mas tudo tem de ter um motivo, uma razão. É preciso que tenha as coisas não podem acabar em ruinas por nada. Tem que haver um motivo por trás de tudo isso.
Comentários são muito bem vindos, especialmente nesses posts onde eu adoro saber a opinião de vocês! O que acharam do meu texto? O que pensam dos fins?
Não se esqueçam da promoção do livro Fazendo Meu Filme da Paula Pimenta! Os comentários são moderados, então não precisam ficar com vergonha de contar suas histórias! Cliquem aqui.

E, novamente, eu vou visitar os blogs parceiros e os que estäo comentando aqui em breve!
Gabi

2 comentários:

  1. Mais uma vez amei o texto, ou poema (risos) Bem eu também acho que todos os fins acontecem por um motivo, às vezes quando algo acaba parece ser o fim do mundo, mas quando acontece algo muito melhor, nem lembramos mais daquilo, ou que de certa forma, só aconteceu porque aquela primeira coisa terminou...

    Não vou participar da promo porque já tenho os três livros, mas já indiquei pra umas amigas, só não sei se elas estão participando...

    Amanhã respondo seus e-mails

    PS: Já tem post novo lá no blog, e é a minha primeira coluna que se chama: My Thoughts vai ser tipo a E os vagalumes... daqui hehe!! Se quiser dá uma passada por lá: http://lopesrafaela.blogspot.com/2011/07/my-thoughts-1.html

    ResponderExcluir
  2. "E quando algo termina, a gente fica em um estado miserável de dúvida e nostalgia. E a gente fica querendo que não tivesse tido um fim, que não era a hora certa e que não era como realmente deveria terminar" < exatamente. Mas sabe, um livro infantil que influenciou DEMAIS na minha vida é "Pollyana", já leu? A mocinha simplesmente sempre tenta procurar o lado bom das situações. Sempre, sempre. E o quando não tem lado bom, aí é tentar really hard esquecer mesmo. E acho que os livros são nossos aliados ;) e a escrita também!

    ResponderExcluir