15 de setembro de 2011

E os vagalumes... #21


Oi,

Hoje é o tipo de dia que eu fico indecisa. Tinha um texto já selecionado desde a semana passada, porém, também tenho uma frase que queria comentar. O que escolher, o que escolher? Decidi o texto. Já que a frase é do Catching Fire e eu ainda não postei resenha, vou postar o E os vagalumes... com ela após a resenha.

Portanto, hoje vou postar o texto.

"Três minutos. Nem mais, nem menos. Exatamente três minutos. Foi o que durou minha felicidade naquela noite. Estúpida eu, em acreditar que talvez meu conto de fadas estivesse batendo na porta. Ridícula de a minha parte pensar que talvez, muito talvez, você tenha se arrependido. Rá rá rá, está ouvindo isso? É meu subconsciente rindo de mim. Por que, diga-me o porquê isso teria acontecido? Por que ele teria se arrependido? Por que de repente, o céu iria clarear tão rapidamente e as nuvens desapareceriam de uma forma completa e eficaz. Humpf, quando será que meu coração irá parar de agir assim? Quando ele parará de se comprimir cada vez que isso acontece? Já não aprendeu que é apenas uma, brincadeira? Apenas. Uma. Brincadeira. Aprendeu? Ótimo, assim, da próxima vez que alguém resolver brincar com meu coração, ele vai aprender que nem todos os jogos são legais. Alguns machucam um pouco, dependendo de com quem se joga. E eu não quero mais ser machucada, não por quem só vê nisso, graça. "
Comentário:
É... Eu escrevi isso com MUITA raiva. Simplesmente muita raiva. Sabe quando a gente chora de tanta raiva? Pois é, eu estava chorando de raiva quando escrevi. Acho que no fundo, no fundo. Ainda não consegui jogar o livro todo no fogo, apenas partes. E eu estou colocando, aos poucos, mas naquela noite foi como se a chama da esperança tivesse sido rapidamente acendida e três minutos depois, uma tempestade apareceu a apagou. Simplesmente e rapidamente assim, três minutos. E eu achei incrível porque em três minutos eu consegui me iludir tanto, mas tanto que a decepção foi gigante.
Acho que isso acontece não apenas comigo. Quando vemos algo indo embora e não queremos ver, qualquer sinal de uma volta faz um sorriso aparecer. Faz nossas esperanças incendiarem nosso coração e como sinal de que a vida não é um conto de fadas, a decepção chega pouco tempo depois.
Espero que tenham gostado do texto! Isso já aconteceu com vocês?
Gabi
obs. isso aconteceu umas duas semanas atrás então a raiva principal já passou. Mas eu ainda sinto raiva porque eu fui muito boba e estúpida naquela noite.


2 comentários:

  1. Adoro essa coluna porque percebo que não estou sozinha, é até engraçado isso! Gabi, aposto que qualquer uma em seu lugar também teria tido esperanças nessa tal noite, você não foi estúpida, só ouviu o coração e não a razão! Xxx

    ResponderExcluir
  2. Ni: É ótimo saber que não estamos sozinhas mesmo. Mas eu ainda me sinto estúpida... Mas já passou agora, só sinto raiva quando me lembro.

    Gabi

    ResponderExcluir