31 de outubro de 2011

Da feira para a minha estante

Da Feira para a minha estante

A mudança do título é devido ao fato de que estamos em época de Feira do Livro em POA. Eu fui lá no domingo e achei bem tranquilo, as últimas vezes que eu tinha ido havia deixado para ir nos últimos dias e era aquela lotação de gente que nem se mexer direito era possível. Mas foi bem diferente, dava para caminhar sem dificuldade e olhar com bastante calma os livros.

A variedade de livros eu não achei grande, quase todas as bancas tinham os mesmos livros, mas eram livros bons, não posso reclamar. Enfim, aqui estão minhas aquisições:

Paixão – Lauren Kate

Finalmente tenho esse livro!! Depois que terminei Tormenta fiquei com uma angustia tão grande de que eu precisava ler esse livro, mas consegui ir protelando e protelando. A capa é linda, tem a mesma textura dos dois primeiros.







Razão e Sensibilidade/Orgulho e Preconceito/Persuasão – Jane Austen

Eu saí de casa pensando ‘quero comprar um livro da Jane Austen’. Revirava as bancas atrás dos livros e nada, nada, nada. Até que eu achei, um livro que não tinha uma, mas três histórias dela. Orgulho e Preconceito eu já tinha, mas pelo preço valia a pena levar a edição com os três. A diagramação é bem parecida com a da L&PM, mas não importa muito, eu adorei o jeito de escrita dela e estou bem animada para ler.



Beijada por um anjo – Elizabeth Chandler

A capa é bonitinha, a sinopse me deixou curiosa e ainda estava embaladinho com plástico todo bonitinho. Então comprei. Não estou com muitas expectativas sobre o livro, mas fiquei com aquela vontade sabe? De querer ler.








Lua Azul (Os Imortais #2) – Alyson Noel

Me rendi. Depois de ler o primeiro volume e ficar totalmente sem coragem de comprar o segundo eu comprei. Eu sempre quis terminar essa série, nunca planejei realmente parar de ler, só que eu ia passando outros livros na frente e tal. Acho que é uma das séries mais polêmicas ultimamente, entre amor e ódio eu ainda não me decidi, veremos o que eu acho sobre esse livro.




Já leram algum deles? Qual foram suas últimas compras?
Gabi

30 de outubro de 2011

Jogos Vorazes, filme

Na quinta-feira foi liberado os pôsteres oficiais de Jogos Vorazes com as fotos de diversos personagens. E além da animação aumentar incrivelmente, podemos conferir como eles ficarão no filme.

O filme tem previsão de lançamento para 23 de março de 2012.

Katniss será interpretada pela Jennifer Lawrence.

Achei ela bem parecida com a Katniss que eu criei, sabem como é, quando eu leio os livros eu crio como seriam os personagens na minha cabeça. E as vezes eu tenho a sorte do ator do filme ser bem parecido (com o Edward/Robert Pattinson, aconteceu isso).

Eu gostei da escolha dela como Katniss.










O papel de Peeta (♥) ficou com o Josh Hutcherson.

Josh com seu cabelo natural
Achei a escolha bem fiel ao livro, mas o meu Peeta era um pouco diferente. Mas eu achei que o Josh na real é bem diferente de como ficou a foto. Não me decidi se o cabelo loiro ficou bem nele (ele é moreno na real), acho que só vou conseguir ter essa opinião depois de ver o filme.







Como Gale, temos o Liam Hemsworth. Ele é conhecido como Will em A Última Música e como o atual namorado da Miley Cyrus. Eu gostei da escolha dele para Gale, se encaixou bem na minha visão inicial.















Amandla Stenberg é quem faz o papel de Rue. Eu adorei a escolha, tenho um carinho enorme pela Rue e já to vendo eu chorando lá no cinema...

Alexander Ludwig é quem interpretará Cato nos cinemas. Eu gostei da escolha, é bem assim como eu o imaginava.





Lenny Kravitz fará o papel do incrível Cinna. É um dos meus personagens favoritos, e eu achei a escolha boa. Mas, não é NADA a ver com o que eu imaginava o Cinna. Nada mesmo. O meu Cinna era meio asiático... Enfim... As vezes meu cérebro não aceita as informações de caracteristicas que o livro mostra e cria a imagem que ele quer mesmo.












E a louca da Effie será interpretada por Elizabeth Banks. Eu achei a escolha muito boa. Apesar de ter uma certa antipatia pela Effie como personagem.


Woody Harrelson fará o papel de Haymich. Eu consigo ver ele como Haymich, mas assim como Cinna, eu imaginava muito diferente. Imaginava alguém muito velho, sério. Mas eu consigo ver Haymich ganhando vida com esse ator.





E vocês? Animados para ver o filme? Eu sei que mal posso esperar para assistir!

Como imaginavam os personagens?

Gabi

28 de outubro de 2011

Resenha: Liberte meu coração - Meg Cabot

Quem leu toda a série O Diário da Princesa, sabe que no último volume, meu favorito, a Mia escreve um livro. E esse livro, de fato foi escrito pela Meg Cabot. Não sei o porquê, juro que não, eu estava receosa se iria ou não ler o livro. Já tinha adiado a compra infinitas vezes, mas acabei ganhando ele. E eu preciso confessar que me apaixonei pela história. Agora eu olho e penso, porque mesmo eu não queria ler esse livro?

É um romance histórico, e é o primeiro livro que eu leio com esse tema, e eu me surpreendi muito. Conta a história de Finnula Crais, uma jovem com seis irmãs vivendo na Inglaterra no século XIII. Contudo ela é diferente das irmãs, ao invés de fofocar sobre homens, se interessar por vestidos e joias, Finnula usa calças e tem a melhor pontaria da aldeia.

Mellana, uma de suas irmãs, acaba com seu dote de tanto comprar vestidos e acessórios e ainda se vê grávida de um trovador. Mellana convence Finnula que a única maneira de recuperar o dinheiro é capturando um cavaleiro rico e exigir um resgate. Mas Finnula não imaginou que ao capturar um cavaleiro percebesse que talvez fosse mais difícil do que pensava, justamente porque talvez... Ela estivesse começando a sentir algo por ele. E Hugo também parecia sentir.

O livro é muito bem escrito, apesar de ter 404 páginas, a leitura fluiu com uma naturalidade incrível. Os personagens são todos muito bem caracterizados, as paisagens, as personalidades, as características, tudo é muito bem retratado na história. É ambientado em uma realidade totalmente diferente da nossa, mas eu adoro história e adoro tudo isso, então foi uma leitura muito boa para mim. O modo como as pessoas se tratavam, principalmente o lado mais machista é visível.

Finnula é uma personagem incrível. Literalmente ela tem aquele girl power. Que para a sociedade da época, não era entendido com facilidade. Onde já se viu uma mulher usando calças! E ainda mais caçando! Todavia ela não se importa.

Eu me apaixonei com o livro, e também com o cavaleiro capturado por Finn. Teve horas em que meus olhos se encheram de lágrimas, que eu fiquei irritada, apaixonada, enfim, o livro traz muitas emoções a tona. O livro é narrado em terceira pessoa, o que faz a leitura mais rica em detalhes tanto sobre o que Finn pensa sobre certa situação tanto como Hugo pensa sobre certa situação. Os dois são bem divertidos juntos, alguns diálogos realmente me fizeram rir.

Eu recomendo muito o livro. É bem diferente do que os livros “normais” da Meg, não sei se é parecido com os que ela escreve como Patricia Cabot porque nunca li nenhum. É um romance histórico. Um lindo romance histórico.

Além do mais, eu preciso comentar que a capa do livro é linda demais. E a letra utilizada é diferente das que normalmente são usadas, então dá aquele ar histórico mesmo. Então, se gostam de livros assim, não percam tempo pensando se devem ou não ler.

Obs. Se ainda não leu o último livro da série O Diário da Princesa, me sinto obrigada em avisar que se lerem a introdução do livro, terão spoilers. Então, se não quiserem, não tem diferença ler ou não a introdução.

27 de outubro de 2011

E os vagalumes... #26

Oi,

Não sei se já sabem. Talvez sim, talvez não. Mas eu tenho uma pequena obsessão por Taylor Swift. Ela simplesmente diz tudo o que eu gostaria de dizer de uma forma linda. Ela é corajosa e as letras das suas músicas contam histórias. Histórias reais, o que faz tudo mais divertido. Quando eu comprei o último CD dela, Speak Now, algo me chamou a atenção. Além das músicas, o que ela escreve no inicio, me deixou pensando. Então, é parecido com o que John Mayer fala na música Say, mas de um jeito diferente. Eu copiei do CD e traduzi para vocês o que a Taylor fala. Espero que gostem.

Vou colocar a versão em inglês junto, é o original e enquanto eu lia eu ouvia a voz da Taylor falando então, se quiserem:

“Speak now or forever hold your Peace”, the words said by preachers at the end of wedding ceremonies all over the word, right before the vows. It’s a last chance for protest, a moment that makes everyone’s heart race, and a moment I’ve always been strangely fascinated by. So many fantasize about bursting into a church saying what they’d kept inside for years like in the movies. In real life, it rarely happens.
Real life is a funny thing, you know. In real life, saying the right things at the right moment is beyond crucial. So crucial, in fact, that most of us start to hesitate , for fear of saying to wrong thing at the wrong time. But lately what I’ve begun to fear more than that is letting the moment pass without saying anything.
I think most of us fear reaching the end of our life, and looking back regretting the moments we didn’t speak up. When we didn’t say ‘I love you’. When we should’ve said ‘I’m sorry’. When we didn’t stand up for ourselves or someone who needed help.
Words can break someone in million pieces, but they can also put them together. I hope you use yours for good, because the only words you’ll regret more than the ones left unsaid are the ones you use to intentionally hurt someone.
What you say might be too much for some people. Maybe it will come out all wrong and you’ll stutter and you’ll walk away embarrassed wincing as you play it all back in your head. But I think the words you stop yourself from saying, are the ones that will haunt you the longest.
So say it to them. Or say it to yourself in the mirror. Say it a letter you’ll never send or in a book millions might read someday. I think you deserve to look back on your life without a chorus of resounding voices saying ‘I could’ve, but it’s too late now’.
There’s a time for silence. There is a time waiting your turn. But if you know how you feel, and you so clearly know what you need to say, you’ll know it. I don’t think you should wait. I think you should speak now
E a tradução:

‘Fale agora ou cale-se para sempre’, as palavras ditas pelos padres ao final do casamento ao redor do mundo todo, um pouco antes dos votos de compromisso. É a última chance para o protesto, um momento no qual o coração de todos acelera e um momento pelo qual, eu sempre fui intrigantemente fascinada. Tantas fantasias de entrar na igreja dizendo tudo o que guardou dentro de si por anos, assim como nos filmes. Na vida real, raramente acontece.
A vida real é algo engraçado sabe? Na vida real, dizer as coisas certas nos momentos certos é crucial. Tão crucial, que em fato, a maioria de nós começa a hesitar, por medo de falar a coisa errada no momento errado. Mas ultimamente, eu comecei a temer mais que isso, é deixar o momento passar sem dizer nada.
Acho que a maioria de nós teme chegar ao final da vida, olhar para trás e se arrepender dos momentos em que não falamos. Quando não dissemos ‘Eu te amo’. Quando deveríamos ter dito ‘Me desculpe’. Quando não lutamos por nós mesmos, ou por alguém que precisava de ajuda.
Palavras podem quebrar alguém em milhões de pedaços, mas elas podem juntá-los também. Eu espero que você use as suas para o bem, porque as únicas palavras que você se arrependerá mais do que as que não foram ditas, são as que você usou com a intenção de magoar alguém.
O que você dirá pode ser demais para algumas pessoas. Talvez saia tudo errado e você gagueje e você irá ir embora envergonhado enquanto você vê tudo novamente na sua cabeça. Mas eu acho que as palavras que você se impede de dizer, são as que lhe assombrarão por mais tempo.
Então diga para eles. Ou diga para você mesmo no espelho. Diga em uma carta que nunca será entregue, ou em um livro que milhões lerão um dia. Eu acho que você merece olhar para trás na sua vida sem um coro de vozes dizendo ‘Eu poderia ter feito, mas é tarde demais agora’.
Tem um momento para o silêncio. Tem um momento para esperar a sua vez. Mas se você sabe como se sente e sabe claramente o que precisa dizer, você sabe. Eu não acho que você deva esperar. Eu acho que você deveria falar agora.

Diz tudo e mais um pouco certo? Acho que ela escreveu de um jeito maravilhoso. E eu fico pensando como seria se ela lançasse um livro... Ok, voltando ao assunto. O que ela diz me fez pensar bastante. Ela fala de um jeitinho legal e inspirado. Eu adoro esse texto, eu leio diversas vezes, só para ficar com a mensagem na cabeça. E porque eu tenho as minhas manias né...
Gabi

26 de outubro de 2011

Da livraria para a minha estante #12

Oi,
Tenho quatro novos livrinhos na estante. Já estou fazendo meu estoque para as férias de verão...
Code name Cassandra - Meg Cabot - 1-800-WHERE-R-YOU #2

Segundo volume da série Quando cai o Raio, o primeiro livro foi lançado no Brasil e eu não, não tenho paciência para esperar pelas continuações. Ele é paperback, não é muito grosso e o título e o nome da Meg são em alto relevo. A capa é linda.












Insatiable - Meg Cabot

Também conhecido como Insasiável. Eu estava na dúvida se leria esse livro ou não, mas como quero a minha coleção da Meg completa, decidi que lerei sim. Em breve.

Meena Harper é roteirista de uma novela famosa, 'Insaciável', e como os vampiros estão na moda os diretores do canal decidem que esse será o próximo tema a ser abordado na trama. Logo, Meena se vê obrigada a escrever sobre vampiros, apesar de não acreditar na sua existência. Não que ela seja totalmente alheia ao sobrenatural - Meena tem um dom, e sabe quando as pessoas vão morrer. Nem assim ela chegou a pensar que um dia iria se envolver com um misterioso detetive e caçador de vampiros ou com um vampiro de péssima reputação e também muito sedutor.



Não sou esse tipo de garota - Siobhan Vivian

Nem foi tanto a sinopse que me chamou atenção nesse livro. E sim o título e capa. É... Creio que já tenha dado para entender, enfim, o livro é muito bonito e é a minha leitura do momento!
Este era seu último ano de colégio. Entrar na universidade, ser presidente do conselho estudantil e passar todos os dias com sua melhor amiga era tudo o que Natalie havia planejado. Ela sempre foi estudiosa, a melhor da classe. Não era o tipo de garota comum na Academia Ross, pois se preocupava muito com sua reputação, talvez até demais. Então, para sua surpresa, no início das aulas uma caloura a reconhece por tê-la tido como babá anos atrás. Desse reencontro surgirão muitos acontecimentos em que Natalie será obrigada a fazer difíceis escolhas para os dilemas de sua vida no ensino médio, assim como qualquer adolescente.

E como eu tenho esse terrível vicio e não conseguir sair de uma livraria sem nada:

A caminho do verão - Sarah Dessen

Sabe aquele livro escondido na prateleira lá de baixo da livraria que ninguém se presta para ver? É lá onde eu achei esse livro. Estava procurando um para dar de presente para uma amiga minha quando meus olhos param na lombada de bolhinhas rosa desse livro. Vocês acreditariam se eu falar que me apaixonei pelo livro? A capa é linda demais, a parte de dentro e a orelha são roxas e é tudo linda. E como estamos nos aproximando do verão - minha estação tão odiada - e eu li a sinopse e achei a história fofa, comprei.

História longa da minha compra né? Mas eu tive que contar porque fiquei muito apaixonada pelo livro. Só quero ver se a história é tão boa quanto a capa. A iD está de parabéns.

Auden resolve passar as férias de verão em Colby, uma minúscula cidade litorânea, com o pai, a madrasta e Thisbe, sua irmãzinha. Lá, ela revê seus conceitos em relação à madrasta, encara um emprego de férias em uma boutique e conhece Eli, um garoto misterioso com quem embarca em uma busca - experimentar uma adolescência sem preocupações, enquanto ele procura se recuperar de um acontecimento trágico.


Já leram algum desses livros? O que me dizem sobre eles?

Gabi

25 de outubro de 2011

Novidades #6

O segundo volume da série Gone, Fome, sairá nas livrarias dia 28/10 pela Galera Record.

Já se passaram três meses desde que todos com menos de 15 anos ficaram presos na bolha conhecida como LGAR (Limitado à Garotada da Alameda da Radiação). A quantidade de comida diminui vertiginosamente há semanas. Primeiro foram os sorvetes, doces e todo o estoque do McDonald’s. Enquanto isso, toda a carne, como as frutas e legumes, apodreceram. Desesperados, os garotos liderados por Sam precisam encontrar uma nova fonte de alimento. Para piorar, Escuridão, uma criatura sinistra que viveu enterrada no fundo das montanhas, começa a convocar alguns adolescentes para influenciá-los, guiá-los, manipulá-los...  Leia o primeiro capítulo aqui.

Outro lançamento da Galera Record é Com Louvor da Cecily Von Ziegesar. A mesma autora da série Gossip Girl. O livro estará disponível nas livrarias a partir do dia 21/1o.

Shipley é sinônimo de boa moça. Nunca faz nada errado, tem uma boa relação com sua família e entrou para uma boa faculdade. Além de tudo, é linda, loura e, surpreendentemente, virgem.
Decidida a se transformar, ela já chega ao campus da Dexter College com um maço de cigarros na bolsa, um chiclete na boca e na primeira noite conhece mais três calouros. De alguma maneira, eles acabam se um grupo nada homogêneo de amigos. Logo todos irão perceber que a faculdade é muito mais do que créditos e notas e que será preciso desrespeitar algumas regras para se divertir muito! Leia o primeiro capítulo aqui.

Assim como Amanhecer, o livro Um Dia também ganhou uma edição com a capa do filme. Vocês podem conferir minha resenha do livro aqui.

Eu achei essa capa linda de morrer. Me deu uma vontade enorme de ter na estante!!













P.C. Cast é conhecida como a autora da série House of Night. Mas agora veremos outro livro dela, dessa vez, escrito apenas por ela. A Busca de Brighid sairá pela Editora Harlequim.

Em vez de seguir as regras restritivas de sua família, Brighid, uma centaura, escolhe partir em busca da sorte, fazendo novos amigos e criando laços com humanos e outros seres de sua espécie. Agora, ela terá de enfrentar o maior desafio de sua vida. Enquanto ajuda Cuchulainn, um humano atormentado e irmão de sua amiga Elphame, a voltar para seu lar, Brighid percebe que cada vez mais se importa com ele. Uma emoção proibida pelo seu clã. Para aumentar seus problemas, a Grande Deusa despertou nela o poder divino do Xamã, tornando-a a primeira centaura a receber essa benção em muitos anos. Enquanto se divide entre aceitar uma dádiva com a qual jamais sonhou e o medo de assumir um amor proibido, Brighid tem a premonição de uma tragédia que poderá destruir todos a quem sempre amou…


Lançamento pela Lua de Papel, Amor fora de Hora da Katarina Mazetti

Uma jovem mulher, amante dos livros, e um rapaz do interior se esbarram repetidamente no cemitério. Um local completamente inusitado para um encontro. Certo dia, um sorriso nasce nos lábios dos dois e eles ficam deslumbrados um pelo outro. É o início de uma paixão irrefreável.











Lançamento previsto para 01 de novembro da Novo Conceito, Julieta Imortal da Stacey Jay.

Julieta Capuleto não tirou a própria vida. Ela foi assassinada pela pessoa em quem mais confiava, seu marido, Romeu Montecchio, que fez o sacrifício para assegurar sua imortalidade. Mas Romeu não imaginou que Julieta também teria vida eterna e se tornaria uma agente dos Embaixadores da Luz. Por setecentos anos, Julieta lutou para preservar o amor e as vidas de inocentes, enquanto Romeu tinha por fim destruir o coração humano. Mas agora que Julieta encontrou seu amor proibido, Romeu fará de tudo que estiver ao seu alcance para destruir a felicidade dela.



O preço de uma lição - as vezes amar muito não basta, de Rogério Mendonça e Federico Devito.
Os meninos são, sim, capazes de amar.
”Tem um ditado que diz que o amor é cego. É justamente o contrário. Quando você ama de verdade, é capaz de ver coisas que ninguém consegue. Falam que você não consegue enxergar os defeitos, pura mentira também! Você vê, estão todos lá. Mas vê também algo que só você pode, como lidar com eles e contorná-los. Então, o amor não é cego, ele é a maior lente de aumento que já inventaram.”
Como acontece esta coisa chamada amor? Nasce junto com a gente, mas não depende só de nós. A gente sofre e faz sofrer, ama e é amado. E com isso aprende muita coisa. Lições que trazem consequências, problemas e soluções.
O preço desse aprendizado transforma o garoto em um homem. Esta narrativa, cheia de incidentes, mostra que – ao contrário do que dizem algumas garotas – os meninos são, sim, capazes de amar.
Quais as transformações que o amor pode provocar na gente? O que ele ensina? Qual o seu preço? Acompanhe a jornada de um jovem, transformado pelo amor, à procura dessas respostas.

Gostaram das novidades? Qual livros você estão mais animados para ler?
Gabi

24 de outubro de 2011

Top 5: Séries

Oi,
Estou ficando sem ideias para os Top 5 mensais... Se quiserem contribuir, por favor, deixar suas sugestões nos comentários. Enfim, escolhi fazer um Top 5 de séries, porque elas têm aquela sensação de continuidade. Quando um dos livros acaba a gente fica naquela ansiedade para o próximo e tudo mais. Então esse é o meu Top 5 de série, é claro que tem muitas outras que eu não li então ficarão de fora.
1)      Hush Hush – Becca Fitzpatrick
Comprei o livro por impulso e acabei me apaixonando. Quando terminei de ler fiquei um dois dias de luto pelo fim do livro. E agora estou na espera de Silence, que lança agora em outubro nos EUA e eu espero que chegue logo aqui. Para ler mais sobre a série, é só dar uma conferida nas minhas resenhas. Aqui e aqui.
2)     Fazendo meu Filme – Paula Pimenta
Outra série que merece uma atenção gigante. Eu sempre recomendo essa série porque é simplesmente perfeita. Quando eu terminei o primeiro fiquei louca atrás do segundo e do terceiro. E agora espero o quarto que deve ser lançado no final desse ano ainda ou inicio do ano que vem. A série, por ser ambientada no Brasil, tem uma sensação de casa que é inexplicável, só lendo para entender.
3)     Jogos Vorazes – Suzanne Collins
Eu realmente não acreditava muito nesse livro quando o li. Já tinha lido inúmeras resenhas elogiando, mas eu não acreditava no livro. Até que eu comprei o box em inglês e comecei a ler. Pronto, foi paixão na hora. A série é tudo de bom, quando o leitor começa a ler é impossível parar. A Suzanne criou um mundo totalmente viciante e encantador. E tem aquele ar de mistérios e os romances e tudo mais... É simplesmente muito bom.
4)     Fallen – Lauren Kate
Comecei a ler faz pouco tempo e já estou apaixonada. Tanto pela história quanto pelos personagens. É um romance muito lindo e muito fofo. A Lauren consegue levar a história intrigante e genial adiante sem tornar chato e tedioso. Temos a presença incrível de Daniel e Cam para deixar tudo mais legal ainda.
5)     A Mediadora – Meg Cabot
Eu reli a série a pouco tempo e tinha esquecido como é boa. É o tipo de leitura Meg Cabot. Engraçada, romântica e com um pouco de ironia e sarcasmo. Os livros são muito bons e a série leva um ritmo ótimo. Uma vez começada, é quase impossível parar. E ainda tem o fantástico fantasma Jesse, que rouba o coração das leitoras inocentes.
Eu vou ter que colocar um extra no final, porque ficou faltando uma série que eu adoro demais e não podia deixar passar.
6)      Feios – Scott Westerfeld
Eu adoro essa série por ter uma crítica enorme a nossa sociedade. A obra do Scott é totalmente crítica e não perdoa nada. Acho que quem lê os livros dele pensa realmente na nossa sociedade e o que está certo e errado. Ele mostra uma sociedade futurista onde tudo parece perfeito. Só parece, porque na verdade não é. Eu recomendo pela brilhante escrita dele e pelo tema proposto.
Bom, ficou faltando algumas, mas a lista mostra as minhas favoritas do momento. E tudo que momentâneo muda de tempos em tempos. Então, daqui uns meses eu estou pensando em refazer todas as listas e atualizá-las. Bom, se tiverem alguma dica para o mês que vem, estou aberta a sugestões!
Quais são as Top 5 séries na opinião de vocês? Eu adoraria saber!
Gabi

21 de outubro de 2011

Resenha: A Esperança - Suzanne Collins

Essa resenha contém spoilers caso não tenha lido os dois primeiros volumes.
Leitura intensa e surpreendente.
Não é por nada que a série faz o maior sucesso, a cada volume a história fica melhor. E não é diferente quando se trata do terceiro e último livro da série.
Uma revolução começa. Diversos distritos começam a se unir contra a Capital. E essa não fica para trás, o principal alvo do Presidente Snow é sem dúvidas: Katniss Everdeen. A menina que começou toda essa revolta. Ela é o rosto da revolução. Ninguém está realmente a salvo. O distrito 13 realmente existe, e eles estão no comando da revolução. Então, quem ganhará?

Diferente dos dois primeiros livros, não somos levados a uma arena onde os participantes lutam a sua sobrevivência. Mas para Katniss, é como se a arena fosse trazida para a sua vida. Vemos a revolução tanto esperada tomando forma e ganhando forças. Vemos o papel que a propaganda exerce sobre as pessoas e vemos que a Capital, não tem pena de ninguém.


"And if we burn, you burn with us."-Katniss
É um livro muito bem escrito. É uma leitura muito intensa. Muito mesmo.
Durante toda a minha leitura fiquei com o coração batendo rápido e com a mente pensando em mil e uma coisas que poderia acontecer em seguida, mas o livro é surpreendente. É difícil de largar depois que começa, porque a trama fica cada vez mais tensa e perigosa que tudo pode mudar em questões de segundos.
Quando eu digo que a leitura é intensa, eu falo isso porque eu realmente senti tudo que Katniss sentia. Dor, angústia, medo, paixão, tristeza. Absolutamente tudo. Então é difícil não entrar por completo no livro, eu me sentia como se fosse a Katniss. Como se eu estivesse lutando no lugar dela.
Não é a toa que terminei o livro chorando até não poder mais. Como eu disse, ninguém tem pena de ninguém. Acho que meu choro já começou quando se inicia a terceira parte, mas isso é apenas um detalhe.
Temos a ilustre presença de Gale e Peeta. Talvez, quem goste de muito romance fique querendo mais cenas românticas. Porém, analisando o livro como um todo e levando em consideração o que está acontecendo na história, as que existem são lindas, e suficientes. 
Katniss é uma personagem forte, não é a toa que ela é o símbolo da revolução. E acho que eu fiquei tão mal junto com ela por isso, quando ela deixa a tristeza transparecer sob aquele escudo que ela tem para as câmeras, ela se mostra humana, frágil e vulnerável. E eu como água com açúcar que sou, chorei bastante junto com ela. (Chorei oceanos junto com ela, mas isso é porque eu sou emotiva mesmo).
Não quero me estender muito, mas o livro é muito bom. É um must-read sem dúvidas nenhuma. É intenso, é cruel, é triste, é tudo e mais um pouco. É impossível não se envolver com a história e com os personagens, é impossível. E eu fiquei a leitura toda me perguntando e pensando: E se fosse eu no lugar da Katniss? Porque eu realmente me senti como se eu fosse ela, então... O que eu faria?

20 de outubro de 2011

E os vagalumes #26

E os vagalumes será diferente hoje! Ao invés de trazer um texto, vou trazer uma música! Acho que as músicas são tão significativas quanto texto, porque são textos na verdade. Têm muitas músicas que são estilo “tapa na cara”, dizem tudo que a pessoa precisa ouvir e deixa o ouvinte pensando: Essa música foi feita para mim. Então, eu vou revezando músicas e textos. Eu tenho uma lista enorme de músicas que dizem tudo e mais um pouco.
A primeira música será... “Say” do John Mayer. Eu sou viciada em John Mayer, isso é um fato. E essa música diz tudo o que eu preciso ouvir.

Take all of your wasted honor             Pegue toda sua honra desperdiçada
Every little past frustration                 Todas as pequenas frustrações passadas
Take all of your so called problemas   Pegue todos os seus “chamados” problemas
Better put’em in quotations                 Melhor colocá-los entre aspas

É aquela coisa de deixar o orgulho de lado, e colocar nossos problemas em quotes. Acho que a primeira frase é a mais significativa já que muitas vezes deixamos o orgulho atrapalhando e deixamos de fazer o que deveríamos fazer, ou o que queremos fazer.

Say what you need to say                 Diga o que você precisa dizer

Aposto que se fossemos fazer uma lista de tudo que precisamos dizer para diversas pessoas, seria bem grande. Pelo menos a minha seria gigante. E provavelmente não chegaremos a dizer tudo isso, por diversos motivos. E essa parte diz, que devemos dizer o que precisamos dizer.

Walkin’ like a one man army      Caminhando como um exército de um homem só
Fightin’ with the shadows in your head     Lutando contra as sombras em sua mente
Livin’ up the same old moment        Vivendo o mesmo velho momento
Knowin’ you’d be better off instead     Sabendo que você estaria em melhores condições   
                                                                                                       .. se quissesse                                    

Vivendo o mesmo velho momento. Eu leio como – revivendo todos aqueles momentos que ainda não conseguimos nos “despedir” de fato. E estaríamos em melhores condições se esclarecêssemos alguns assuntos, e para isso precisaríamos falar o que precisamos falar.

Have no fear for givin’ in                           Não tenha medo de continuar
Have no fear for giving over                     Não tenha medo de desistir
You better know that in the end               Seria melhor você saber que no final
It’s better to say too much                         É melhor falar demais
Than never to say what you need to say again    Do que nunca falar o que você precisa
                                                                                                             dizer de novo.

Não podemos ter medo de continuar, de continuar a tentar. Muito menos de desistir caso o assunto já seja muito passado e só te faça mal. Falei sobre isso no blog. E a última frase é um tapa na cara para mim, que é totalmente verdade. É melhor às vezes, falar demais do que nunca falar o que era preciso. É melhor esclarecer um assunto, por mais difícil que seja, do que ficar com aquela dúvida dentro de si, por medo de falar.
               
Even if your hands are shaking        Mesmo que suas mãos estejam tremendo
And your faith is broken                   E sua fé esteja perdida
Even as the eyes are closin’              Mesmo que seus olhos estiverem se fechando
Do it with a heart wide open             Faça isso com o coração aberto

Mesmo se estiver com medo/vergonha, mesmo que já saiba que não tem mais volta, que não tem mais como as coisas serem como eram antes. Diga, e fale com o coração. Porque a vida pode acabar te surpreendendo. Nunca se sabe, é melhor saber a verdade de uma vez do que sofrer com a dúvida.

E chegamos ao final da música, ou melhor, das estrofes por a música repete bastante o “say what you need to say”, relembrando a pessoa que é para ela dizer o que precisa dizer. Espero que tenham gostado desse post, eu já estou preparando outros com outras músicas... Se quiserem uma “dica” de qual será o próximo cantor, na parte Sobre Mim do blog, ali na lateral, tem umas pistas. Acho já que músicas contêm palavras, e eu sou fascinada por palavras, elas merecem um lugar no blog.

Já tinham ouvido essa música? O que acharam?

Gabi

18 de outubro de 2011

Resenha: Tormenta - Lauren Kate

Amei! Antes da resenha eu gostaria de dizer que amei esse livro assim como Fallen. A Lauren Kate consegue fazer uma sequência a nível do primeiro livro. E eu acho isso particularmente difícil, já que normalmente me decepciono com continuações. Mas no caso de Tormenta, isso não aconteceu. O livro é muito bom.
Em Tormenta vemos Luce sendo levada por Daniel para uma nova escola, a Shoreline School. Lá Luce começa a conhecer mais sobre seu passado e o que realmente está acontecendo na sua vida, que depois do que aconteceu na Sword & Cross: está mais confusa do que nunca.
Depois de terminar Fallen eu senti uma necessidade de ler Tormenta. É como se eu não conseguisse me separar dos personagens, principalmente de Luce e Daniel.
Na nova escola de Luce, já vemos a história com um ar diferente. Não é aquela história de reformatório, câmeras e pessoas loucas. É uma escola simples, iluminada e escolhida a dedo por Daniel para Luce ter as ferramentas para descobrir mais sobre sua vida. Conhecemos novas personagens, como Shelby, Miles, Francesca e Steven.  E todos eles têm papéis importantíssimos no livro.
Luce está separada de Daniel por motivos que ela desconhece. Luce está sendo protegida por motivos que ela desconhece. Daniel está agindo estranho por motivos que ela desconhece. Em síntese, Daniel não conta absolutamente nada do que está acontecendo para ela. Deixa-a confusa e intrigada. E eu tenho que concordar com ela por ficar com raiva disso.
Podemos conhecer mais sobre as “sombras” que tanto amedrontaram Luce quando pequena e conhecemos mais sobre o mundo dos anjos. O livro é muito bom, segue um ritmo ótimo para a leitura. Tem alguns capítulos mais monótonos, mas nada que prejudique. É o livro que o leitor sente junto com a personagem. E é um livro onde os personagens cometem vários e inúmeros erros.
Juro que se Daniel fosse o meu namorado – sonha Gabriele, sonha – eu também ficaria brava como Luce devido a “proteção” dele. Acho que ele exagera um pouco proibindo ela de sair e mandando-a ficar na escola o tempo todo, isso tudo seria válido se ele desse alguma explicação sobre o que estava acontecendo.

A melhor cena, na minha opinião, é a do dia de Ação de Graças. É demais, leiam e aproveitem.

Mas ainda assim ele é irresistível e apaixonante, não estou com raiva dele, ainda estou apaixonada. E mesmo que ele fez tudo isso, eu fiquei com muita raiva de Luce por ela fazer o que fez – quem leu sabe. O cara passa milhares de vidas amando ela e tudo mais, e agora quando está protegendo ela porque a ama mais do que tudo a menina vai lá e faz aquilo. Enfim, como eu disse, todos os personagens cometem erros nesse livro.
Miles também me deixou brava. Shelby também me deixou brava. Mas ao mesmo tempo eu adoro esses personagens. Entenderam a história né? Amor e ódio.
E temos várias cenas lindas entre Luce e Daniel, mesmo com todos os desentendimentos deles.
E o livro termina de uma maneira linda e intrigante. Que me fez ficar com raiva por não ter Paixão ainda. O livro deixa várias dúvidas no ar, que espero serem respondidas no próximo. Mas a série terá um quarto livro, Rapture, então nunca se sabe onde Lauren Kate responderá minhas dúvidas.