31 de maio de 2012

Resenha: Cordeluna - Élia Barceló


Editora: Biruta
Cordeluna conta a história de um casal que foi separado por uma maldição há mil anos atrás. Eles se reencontram nos dias atuais, e talvez, dessa vez, eles consigam finalmente ficar juntos.
Comecei a ler sem muitas expectativas, não sabia muito que esperar do livro e me surpreendi. A narrativa da autora é muito bem trabalhada, eu me senti na Idade Média, me senti na pele dos personagens e eu simplesmente adoro quando isso acontece.
Eu demorei um pouquinho no inicio para entrar na história, para ver que rumo a autora iria seguir, mas logo depois, já não conseguia mais soltar o livro. A narrativa altera entre passado e presente e é viciante. É uma história maravilhosa, inteligente e diferente.
Eu adoro história, então ler algo ambientado na Idade Média, sendo essa época retratada muito bem, com todos seus costumes, foi algo muito bom.
Nunca tinha lido nada de autores espanhóis, e foi uma ótima primeira experiência. Foi como fazer uma viagem há mil anos atrás, uma ótima viagem.
Os personagens ao se reencontrarem no presente, sentem uma conexão inexplicável e começam a ter sonhos, onde elementos do passado tentam se comunicar com eles. Nessas horas eu simplesmente ficava vidrada nas páginas querendo saber o que iria acontecer. Sabe quando você senta para ler, não percebe o tempo passar e quando olha no relógio já se passaram duas horas e faltam pouquíssimas páginas para o livro terminar? Foi assim minha leitura de Cordeluna.
E vendo com um olhar estético, Cordeluna é também, um livro lindo. A diagramação interna é muito bem trabalhada, a revisão de texto, os desenhos, a capa... Tudo é lindo. Recomendo muito! É diferente do que eu estou acostumada a ler, mas vale muito a pena.

30 de maio de 2012

Promoção: Garotas de Vidro


Nova promoção no blog! Em parceria com a Editora Novo Conceito vou estar sorteando o livro e o kit de Garotas de Vidro. A promoção vai até o dia 24 de junho. Boa sorte a todos! Qualquer dúvida, podem mandar pelo formulário na parte de contatos do blog. 


a Rafflecopter giveaway

29 de maio de 2012

Resenha: Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson

Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson - Novo Conceito

Eu não li a sinopse do livro antes de começar a ler, tinha apenas em mente o título e a capa. E conforme fui passando as páginas, fui descobrindo que não fazia a mínima ideia do que o livro iria tratar. Achava que seria algo de fantasia, mas a autora aborda um assunto polêmico e presente no nosso dia a dia. Distúrbios alimentares.
É o primeiro livro que eu leio que tem esse assunto como tema principal. Muitos autores já mencionaram várias vezes, mas Laurie Halse Anderson, cria uma personagem que sua vida é baseada nisso. E consegue demonstrar atrás da narrativa rápida e viciante como a mente da personagem funciona.
Lia tem 18 anos e descobre que sua ex melhor amiga Cassia morreu sozinha em um motel. E descobre que antes disso, ela ligou 33 vezes. As duas tinham distúrbios alimentares e uma brincadeira de ver quem ficava mais magra. Mas o corpo de Cassia não suportou a falta de alimentos e seus hábitos em busca da perfeição.
A narrativa do livro é rápida, e lida muito com o psicológico confuso da personagem. É em primeira pessoa, então temos realmente, a visão da pessoa com distúrbios e o que ela pensa sobre isso. Acho que a autora conseguiu retratar muito bem o que muitas pessoas pensam hoje. A contagem obsessiva de calorias, a busca por números na balança cada vez menores e uma confusão de pensamentos inexplicável. 
É um livro pesado. Da primeira página a última. É um livro que lida com um tema muito forte e de uma maneira direta e bruta. Eu me admirei muito com a autora, por escrever tão bem sobre algo tão complicado e difícil.
Garotas de Vidro foi uma surpresa para mim. Não conseguia soltar o livro, é viciante e tem um ritmo que liga um capitulo com o outro e é impossível parar de ler. A autora não ameniza nada, ela lida com a mais pura realidade. E não é uma realidade suave. Recomendo bastante.

27 de maio de 2012

Top 5: Quero reler


É inevitável, quando eu termino um livro muito bom, eu imediatamente quero começar a ler tudo de novo. Normalmente, demoro um pouco, mas sempre acabo relendo o livro, ou as vezes quando bate uma saudade leio minhas cenas favoritas de novo, de novo e de novo. Não cansa nunca.
Resolvi fazer uma lista então com os livros que eu pretendo reler assim que possível.
1) Orgulho e Preconceito – Jane Austen
Eu vi o filme um tempo atrás e me bate uma vontade enorme de ler a história de novo. De passar mais tempo com os personagens e tudo mais.
2) The Fault in Our Stars – John Green
Faz pouco tempo que eu li, mas desde então já reli algumas cenas várias vezes. Eu li o livro primeiramente em e-book e agora comprei a versão física (é, eu não me aguentei) então quero ler de novo. (Ah, ontem eu fui na Turnê Intrínseca e a versão brasileira do livro será lançada em julho!)
3) Fazendo meu Filme 2: Fani na terra da rainha – Paula Pimenta
Tenho certeza absoluta de que quando for reler esse livro, o verei com outros olhos. Já que em uns meses eu estarei na terra da rainha... Acho que vai ser interessante reler pensando nisso. E Paula Pimenta nunca é demais.
4) Derby Girl – Shauna Cross
Faz tempo que eu li esse livro, mas lembro perfeitamente que me apaixonei pela história. Quero ler novamente e ver se a história vai me atingir diferente e quero me lembrar de todos os detalhes.
5) Em Chamas – Suzanne Collins
Assim que eu terminei de reler Jogos Vorazes para assistir o filme, eu já quis seguir lendo Em Chamas. A vontade aumentou depois que o filme terminou e cresce cada vez mais.  

Gabi

26 de maio de 2012

Da livraria para a minha estante #34

Oi!


Recebi o boletim com as notas finais essa semana, então espero que por umas duas semanas eu possa ler mais tranquila. Mas infelizmente as provas vão começar a logo. Enfim, essa semana recebi também a caixa da Novo Conceito e aqui estão os livros:


Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson - Novo Conceito. Eu já até li esse livro. Comecei na quarta-feira e não consegui mais soltar. A resenha sai essa semana junto com uma promoção. A capa do livro é maravilhosa. Junto vem um estojo e um marcador. 

A Escolha - Nicholas Sparks - Novo Conceito. Eu não costumo gostar muito das versões nacionais das capas dos livros do autor. Mas essa foi exceção, adorei. Eu tenho a leve impressão que o livro tem algo a ver com cachorros,(Não li a sinopse ainda) já que veio um lápis com um osso na parte de cima e um cachorro no marcador.


O Clã dos Magos - Trudi Canavan - Novo Conceito. Nunca li nada sobre magos, assim que eu conseguir eu leio. O livro é bem grandinho e veio um marcador e uma bonequinha (tentei arrumar para que aparecesse na foto, mas  não quis colaborar comigo).

A filha da minha mãe e eu - Maria Fernanda Guerreiro. Esse eu li a sinopse, para ter uma noção do que o livro iria tratar. Quero ler, mas não é prioridade. Achei a capa bem delicada e adorei a cor do esmalte. 


Minhas leituras da semana. Terminei Cidade das Cinzas da Cassandra Clare. Adorei o livro e quero agora o terceiro!! E li Garotas de Vidro. Que é um livro muito bom, nada leve, mas recomendado. Estou lendo Por isso a gente acabou. Resenhas em breve e essa semana teremos outra promoção no ar!

Como foi a semana de vocês?

Gabi

24 de maio de 2012

Resenha: Looking for Alaska - John Green


Looking for Alaska - John Green - Speak


As últimas palavras de François Rabelais foram “I go to seek a Great Perhaps” (Eu irei buscar um Grande Talvez). E é isso que Miles Halter decide fazer. Ele deixa sua cidade e sua vida sem graça para trás e se muda para Culver Creek, um internato no Alabama.
Miles gosta de conhecer as últimas palavras de pessoas. Ele diz que quer buscar o seu Grande Talvez, um motivo para sua vida enquanto tem tempo de viver e não a beira da morte. Miles não tem certeza que achará algo no internato, mas não custava tentar.
Lá, Miles conhece um Alaska Young. Uma menina que logo nos primeiros dias, deixa ele intrigado e fascinado. Junto com Alaska, ele conhece Chip “The Colonel”, Yakumi e Lara. E então sua vida deixa de ser sem graça.
John Green narra o livro de uma forma brilhante. É simplesmente impossível parar de ler. Um capítulo puxa o outro e quando o leitor percebe, o livro já terminou e fica aquela sensação de vazio. 
Os personagens são extremamente bem construídos e desenvolvidos. Principalmente Alaska. Ela é inteligente e tem uma biblioteca com centenas de livros no quarto. Mas ela também tem um lado obscuro que o John Green vai aprofundando aos poucos. É uma personagem com tantos sentimentos confusos dentro de si, que acaba virando uma personagem complexa e incrível. Acabou se tornando uma das minhas personagens favoritas.
O livro é dividido em Antes e Depois. Não é uma história leve, é um livro que me fez pensar. Principalmente na parte do Depois. Eu realmente senti a intensidade do livro durante toda a leitura. O que acaba sendo um ponto imensamente positivo. Eu gosto de livros intensos, com sentimentos intensos e com pensamentos maravilhosos.
É uma história que eu acho que não irei esquecer tão cedo. Não sei colocar o que eu senti em palavras sem falar spoilers. Os personagens, acontecimentos, frases, parágrafos... Tudo me tocou de tal forma que vai acabar sendo um livro que eu vou continuar pensando continuamente.
Looking for Alaska entrou, não só para a minha lista de livros favoritos. Mas para a lista de livros que eu considero importantes para mim.
E o livro já foi traduzido para português!! O título é “Quem é você, Alasca?” e é publicado pela editora WMF Martins Fontes. 

22 de maio de 2012

Resenha: Fazendo meu filme 4 - Paula Pimenta

Fazendo meu filme 4 - Fani em busca do final feliz - Paula Pimenta - Gutenberg

Essa resenha pode conter spoilers caso não tenha lido os três primeiros livros da série. Para conferir as resenhas clique em: FMF1| FMF2 | FMF3
Fazendo Meu Filme 4 é o último volume da série e é cheio de cenas emocionantes e reviravoltas. O livro inicia cinco anos após o término do FMF3, e então, Paula Pimenta vai alternando entre presente e passado a narrativa. O leitor consegue entender o que aconteceu com a Fani e o que está acontecendo com ela.
A Fani é uma personagem que eu gosto bastante, eu me vejo nela em várias características e eu gosto de ler sobre ela. É uma personagem que amadureceu bastante ao decorrer da série e isso é algo legal de se observar. E além do mais, ela não é a única a crescer e a virar adulto. Leo está seguindo com a sua vida também.
Uma novidade desse livro é que temos uma mudança de narrador! O livro é dividido em três partes. A primeira, a Fani narra. A segunda, o Leo e a terceira os dois.
A narrativa do Leo foi uma novidade muito positiva. O passado dele volta para o acontecimento fatídico que mudou a vida dos dois e segue então, deixando o leitor ter conhecimento do que aconteceu na vida dele nesse período e o que ele pensa sobre tudo. Acho que é sempre interessante ouvir o outro lado da história.
Mas que ele é ciumento, é sim.
As descrições de lugares da Paula Pimenta está sensacional nesse livro. Eu me senti em Los Angeles, mesmo nunca tendo visitado a cidade. Eu realmente podia visualizar todos os lugares na minha mente.
No inicio do livro, descobri que eu e a Fani temos uma coisinha em comum... Um gosto por escrever cartas e não mandar... Juro que comecei a rir (e também a chorar) quando apareceu à primeira. Elas são muito parecidas com as minhas.
E ah, eu chorei bastante nesse livro. Principalmente no inicio. Alguns acontecimentos fizeram com que eu pensasse na vida e os personagens são tão reais para mim que acabou me deixando muito sensível e emotiva.
Em algumas cenas eu ficava admirada e orgulhosa da Fani. Ver os sonhos dela, que eram sonhos nos outros livros, se tornando realidade é algo incrível. Porque quando eu leio o livro e gosto dos personagens, eles viram bem mais do que personagens para mim.
Já estou escrevendo demais. Então, eu recomendo muito essa série. É fácil demais se relacionar com os personagens, eles passam pelas mesmas coisas que nós passamos do jeito que nós passamos. A narrativa da Paula Pimenta é incrível.

21 de maio de 2012

Meme: Os personagens da minha vida


A Ni do Ninhada Literária me passou esse meme e eu gostei bastante de responder. 

1- Divulgue o banner do Meme no seu post.
2- Indique 5 blogs para o Meme.
(ao final do post)
3- Cite os 11 personagens mais marcantes de sua vida e por que eles são especiais.


-Eu não consegui escolher 11 personagens. Então aqui está a lista dos 9 personagens da minha vida - 

Alaska Young - Looking for Alaska, John Green.
Eu gostei da Alaska desde quando ela aparece a primeira vez. É uma personagem única ao meu olhar. Ela está completamente longe da perfeição, mas eu me vi nela algumas vezes. E eu gosto de quando acho características minhas nos personagens. Ela abriu a minha mente para várias questões.

Hermione Granger - Harry Potter, J.K. Rowling
Adoro como a autora valoriza a inteligência da Hermione. Adoro a personalidade dela e é uma personagem que eu gosto por completo. Acho que é um grande exemplo a ser seguido. A coragem, determinação e tudo mais. É admirável.

Augustus Waters – The Fault in Our Stars, John Green
Gosto da maneira como ele vive a vida. Gosto dos pensamentos dele e gosto das atitudes dele. É um personagem que eu gostaria de conhecer e de conversar um pouco, se isso fosse possível.

Lily & Dash – Dash and Lily’s Book of Dares, Rachel Cohn e David Levithan
Vou parecer louca ao falar isso, mas a Lily foi uma grande companhia para mim. Acho que sempre que estiver me sentindo mal eu posso pensar nela ou voltar e ler certas cenas e passagens no livro que eu vou melhorar. Ela foi como uma amiga mesmo.

E o Dash também. Ele é o tipo de pessoa que eu gostaria de ter ao meu redor. Gostaria de poder conversar todos os dias sobre qualquer coisa que passasse na minha cabeça. Ele é simplesmente uma idealização de uma pessoa que eu gostaria que existisse de verdade.

Katniss Everdeen – Jogos Vorazes, Suzanne Collins
A Katniss para mim significa força. Eu gosto da garra, da determinação que ela tem. Por enfrentar algo tão horrível e cruel como ela enfrentou, eu realmente admiro ela.  

Patch – Hush Hush, Becca Fitzpatrick
Paixonite literária. Se existe um personagem que eu posso dizer que tenho uma paixonite enorme é ele.

Elizabeth Bennet e Mr. Darcy – Orgulho e Preconceito, Jane Austen
Orgulho e Preconceito é um dos meus romances favoritos, e contém dois dos meus personagens favoritos. Gosto das personalidades dos dois e gosto como eles evoluem ao decorrer da história. A Elizabeth é uma personagem que dá vida ao livro por ser diferente do que as pessoas esperavam que ela fosse. E o Mr. Darcy reconhece e gosta dessa personalidade dela.

Enquanto eu escrevia essa lista, cheguei a conclusão que essa lista pode sofrer alterações rapidamente... Já que de hoje para amanhã eu posso ler um livro com um personagem que mereça entrar nela. Enfim, esses são os personagens desse período da minha vida. E o de vocês? Deixo o meme aberto para quem tiver interesse em responder.

Gabi

19 de maio de 2012

Da livraria para a minha estante #33

Olá!


Nunca sei como fazer uma 'introdução' para esses posts... Quando eu tenho algo para falar é fácil, mas hoje eu não tenho. Enfim, dois livros se juntaram a minha coleção essa semana :)



Cordeluna - Élia Barceló - Editora Biruta. Recebi o livro da editora junto com um bloquinho de anotações - eu sou viciada em caderninhos e qualquer coisa que eu possa escrever, então adorei - e marcadores. Estou louca para ler o livro e a diagramação interna dele é maravilhosa. Realmente, fiquei impressionada como esse livro é bonito e bem trabalhado.

Cidade das Cinzas (Intrumentos Mortais #2) - Cassandra Clare. Eu li o primeiro livro um tempo atrás (resenha) e gostei bastante. Acabei demorando para comprar a continuação, mas essa semana eu li vários comentários sobre a série e acabei com aquela sensação de 'eu preciso ler esse livro agora!' e por isso eu vou começar a lê-lo assim que terminar de escrever esse post.

Sobre o livro, ele também é maravilhoso. Não dá para ver pela foto, mas a capa é cheia de brilhos e é linda.


Nessa última semana eu li, Fazendo meu filme 4 da Paula Pimenta. Adorei o livro, adiantei a resenha no meu calendário então vocês vão poder ler na terça-feira. Ficou uma resenha grande, mas a verdade é que eu tenho muito o que falar sobre o livro.

Terminei hoje de manhã Paper Towns do John Green. Outro livro muito bom! 

Tenho só mais uma prova esse trimestre então eu espero poder adiantar bastante a minha lista de leitura. Tenho muitos livros em casa que eu quero muito ler! 

Como foi a semana de vocês?

Gabi

17 de maio de 2012

Resenha: 1984 - George Orwell


1984 - George Orwell - Companhia Editora Nacional

1984 de George Orwell se encaixa perfeitamente no gênero chamado de distopia. O livro é ambientando na chamada Oceania (que abrange países da América, Reino Únido, Sul da África e a Oceania atual). O personagem é o Winston. Ele trabalha para o Ministério da Verdade. Onde seu trabalho é, na real a falsificação de documentos, livros e tudo mais.
O que mais me chamou atenção no livro, não foi a história do personagem. Foi o governo, os ministérios e toda a sociedade criada por George Orwell. O governo extremamente autoritário, a população totalmente absorta da verdade realmente me intrigou.
Outro ponto, foi a falsificação do passado. Onde eles apagam o passado e o reescrevem como bem entendem. Assim população aceita que o presente, é bem melhor que o passado.
Aparece também a vigilância do governo sobre os trabalhadores dos Partidos. Em casa moradia há uma teletela que vê tudo o que esta acontecendo. Acabando com a privacidade.
A narrativa de George Orwell é bem sombria. Ele demonstrou bem a sensação de Winston estar vivendo naquele momento e como tudo era, de certa forma, assustador. Eu demorei um pouco para entrar realmente na história, já que no inicio há muito a ser explicado e é explicado de uma forma devagar. Contudo assim eu consegui mergulhar na história, a leitura foi fluida e intrigante.
Eu recomendo o livro. Principalmente agora que as distopias estão ficando cada vez mais populares na literatura Young Adoult e contemporânea, acho que é interessante poder ler algo mais antigo e ver que muitas ideias permanecem as mesmas e também observar as diferenças nas narrativas.
Não foi uma leitura rápida e fácil. Vários parágrafos e capítulos foram bem desgastantes, mas tudo isso devido ao clima tenso que segue durante toda a narrativa. Eu gostei muito de ter lido.

15 de maio de 2012

Resenha: Gone - Michael Grant

Gone - Michael Grant - Harper Teen (Publicado pela Galera Record no Brasil)

Em um piscar de olhos, todos com mais de quatorze anos desaparecem. Simples assim, desaparecem.
Só de ler essa frase eu já estava toda animada para ler. Realmente chama a atenção e é intrigante. O desespero então, por comida e por respostas começa a aparecer. Instintos de sobrevivência são visíveis, a violência extremamente pesada para crianças de quatorze anos aparece bastante no livro.
A história por si só, já deixa o leitor vidrado nas páginas do livro querendo saber o que vai acontecer e o que realmente está acontecendo. Michal Grant tem uma narrativa em terceira pessoa que vai contando a história de vários personagens. O que faz o livro bem completo no quesito de o leitor poder ver como pessoas diferentes lidam com aquela situação.
Não é um livro leve de ser lido. A briga por poder e por quem terá o controle da sociedade que acabou de formando é visível, e para demonstrar poderio e exigir respeito dos outros, a violência é bastante utilizada.
Os personagens são bem construídos. Existem todos os estilos de personalidades nesse livro. Alguns personagens lidam com a situação de uma maneira e outro de outra. Claro que personagens como Caine, Drake, Orc e Howard resolvem se colocar no comando e como não tem muitas explicações razoáveis de porque eles estão no comando ou porque as pessoas devem fazer tal coisa e são proibidas de fazer outras, eles acabam usando a crueldade para conseguirem o que querer.
Sam, Astrid, Edilio e Quinn tentam buscar respostas, soluções e explicações. Sam é aquele menino que tem o instinto de liderança interno, apesar de não gostar disso. Astrid foi uma personagem que eu gostei muito. Astrid é uma menina de quatorze anos muito inteligente. Sam tem uma quedinha por ela e eu adorei como o relacionamento dos dois se desenvolve no meio do tumulto.
Eu gostei muito mesmo desse livro. Gostei de ver como o autor fez os adolescentes liderem com o problema, gostei de poder analisar porque cada um fez o que fez e tudo mais. Eu adoro livros que permitem  o leitor analisar comportamentos dos personagens e que dê muito material para o leitor pensar. Desde que terminei continuo pensando no tema tratado e em tudo que aconteceu.

13 de maio de 2012

Top 5: Mães

Hoje é dias das mães e em comemoração eu resolvi fazer um top 5 com as minhas mães literárias favoritas.

1) Lívia (mãe da Priscila de Minha vida fora de série)
O que eu mais gosto na mãe da Priscila, além de me lembrar a minha própria mãe, é o fato dela ser realmente uma amiga para filha. Ela está sempre dando conselhos e se empolgando com os acontecimentos na vida da Priscila.
2) Molly Wesley – Harry Potter – J.K. Rowling
Adoro a Molly! Adoro o carinho que ela tem por todos os seus filhos e como ela ‘adota’ Harry desde o inicio da série. Ela é amável, é carinhosa e tem muita compaixão. Gosto ainda mais de como ela luta por todos e faz de tudo para que sejam felizes e para que fiquem bem.
3) Mrs. Bennet – Orgulho e Preconceito – Jane Austen
Não adoro ela, mas é um personagem que tem fortes características e que causa seu impacto. Acho que ela se preocupa tanto com o futuro das suas filhas que acaba tendo algumas atitudes que acabam resultando em problemas. Mas para mim, nada é de propósito. Ela sabia que o futuro das filhas não seria muito bom se não casassem e ela quer muito que isso aconteça com todas elas.
E não se pode mexer com seus nervos! Haha
4) Natalie Prior – mãe de Tris e Caleb – Divergent – Veronica Roth
Acho que ela mostra como achamos muitas vezes que mães nunca tiveram uma ‘vida’ antes dos filhos. E Tris acaba descobrindo que a vida da sua mãe foi parecida com a sua. Ela ajuda a Tris em um momento difícil e eu adoro as cenas entre elas no livro.
5) Mãe da Lena – Delírio – Lauren Oliver (esqueci o nome dela, se alguém souber e quiser ajudar!)
Gosto da mãe da Lena por ela abraçar o amor e suas tentativas de mostrar isso a sua filha. Ela resiste ao que a sociedade fala, ela acha errado e acha que o amor não é algo horrível.  Eu acho que ela terá uma participação maior em Pandemonium e estou animada para isso.

E aproveitando, feliz dia das mães, para a minha mãe. Te amo <3


Gabi

Resultado: Estilhaça-me

Oi


Mais uma promoção chega a um fim, e dessa vez quem ganhou foi...



12 de maio de 2012

Da livraria para a minha estante #32

Oi gente!


Estava pensando que essa semana não teria post. Estou com muitos livros aqui em casa para ler e diminui as aquisições. Mas exceções sempre são abertas quando se trata de livros que eu preciso ler. E de tratando de Fazendo meu Filme 4, eu realmente precisava ler. E eu, minha irmã e minha mãe também :)

Para não mostrar só o FMF 4, junto vou mostrar o livro que eu peguei na biblioteca da escola que vai ficar comigo por um tempinho.



Fazendo meu filme 4: Fani em busca do final feliz - Paula Pimenta - Gutenberg. Depois de muita espera e ansiedade finalmente tenho o livro em mãos. É lindo, é enorme e é muita animação para uma pessoa só. O livro chega a ser pesado de tão grande que é.

The Catcher in the Rye - J.D. Salinger. Então, eu li o livro fim de semana passado em português. A edição era de 1965 e o português era bem antigo, a grafia bem antiga e principalmente a acentuação bem diferente. Não impediu de eu ter amado o livro, mas eu achei esse na biblioteca e resolvi que leria de novo. E assim eu posso 'absorver' mais da história.




Como eu disse, eu li O Apanhador no Campo de Centeio essa semana. Em português e estou atualmente lendo em inglês. Eu não achei que fosse gostar tanto do livro, mas realmente, eu adorei. Estou lendo também Fazendo meu Filme 4
Estou escrevendo esse post na sexta-feira a noite e estou na metade. Estou gostando, mas estou ansiosa para ver o que acontece e como acontece. Enfim, eu fico pensando comigo mesmo o que irá acontecer com os personagens.


Essa semana tenho minhas duas últimas provas do trimestre e então poderei me dedicar as minhas leituras.


Como foi a semana de vocês?


Gabi

10 de maio de 2012

Resenha: Just Listen - Sarah Dessen


Just Listen - Sarah Dessen - Puffin (versão brasileira lançada pela editora Farol com o mesmo nome)
Sarah Dessen nos apresenta Annabel, uma menina que tem a vida perfeita, como muitos diriam. Tem uma ótima vida social, uma carreira promissora de modelo e tudo parece estar no lugar certo. Contudo, as aparências enganam.
Sua “melhor amiga” está espalhando mentiras sobre ela, sua família está enfrentando diversos problemas e os seus segredos estão se acumulando com o tempo.
Mas Annabel, em seus momentos de solidão, encontra um menino que faz com que ela se sinta bem novamente. Contudo nem ele é capaz de fazer ela esquecer certos acontecimentos...
Minha primeira experiência com a narrativa da autora foi com A Caminho do Verão, e desde então queria ler outro livro dela. Just Listen foi uma história encantadora.
A autora aborda diversos temas e envolve o leitor na história de verdade. Não é uma história focada apenas em um romance entre a personagem e um menino, ela realmente dá importância e espaço na história para vários relacionamentos entre os personagens.
Temos uma ótima história entre irmãs, temos uma família tentando se erguer novamente, temos relacionamentos de amigas, amigos e tudo mais. Isso faz o livro ser completo, temos uma visão total da vida da Annabel.
Sendo o adorável Owen parte dela. Owen é um ótimo personagem, um ótimo amigo e eu adorei ele. Ele é totalmente viciado em música e gosta de estilos de música bem alternativos, o que rende boas discussões amigáveis entre ele e Annabel.
Foi uma leitura extremamente prazerosa. Não queria soltar o livro e eu me senti conectada com os personagens.
Sarah Dessen narra esse livro intercalando momentos do presente com lembranças do passado. Ora de um passado distante e ora de um passado recente, eu gostei desse formato de narrativa. Faz a história ter um ritmo legal e deixa o leitor sempre querendo saber o que aconteceu e o que vai acontecer.

8 de maio de 2012

Resenha: The Fault in Our Stars - John Green

Incrível. Acho que posso começar a resenha assim, já que foi exatamente o que eu senti enquanto lia o primeiro capitulo do livro.
Hazel é uma menina de dezesseis anos que foi diagnosticada com câncer quando tinha treze anos. Ela estava preparada para morrer aos 14, mas devido ao milagre da medicina, ela consegue continuar viva. Ela acaba colocando tudo de lado, escola, amizades e a vida normal.
E é quando ela conhece Augustus Waters em grupo de apoio para adolescentes com câncer. Augustus é muito bonito, charmoso e para surpresa de Hazel ele parece se interessar nela. É onde a história começa. 
Os personagens desse livro são muito bem construídos. Augustus tem um humor que dá uma leveza ao livro, principalmente nas cenas mais tristes. É um dos melhores personagens que eu já li. 
John Green me impressionou escrevendo pelo ponto de vista da Hazel. Ele fez isso perfeitamente bem. Ela é apaixonada por livros, e foi devido aos livros que ela e Augustus começam a amizade e começam a manter contato. Ela é uma personagem que realmente, passa a emoção para o leitor. Seja tristeza, angústia, paixão, felicidade. Se sente absolutamente tudo enquanto se lê The Fault in Our Stars.
De fato, eu senti tudo que é retratado no livro. Não preciso comentar que chorei litros e que tinha que deixar o livro de lado para me acalmar e depois continuar. É um livro com um tema triste e pesado, não é uma leitura leve. Mas é uma leitura reflexiva e maravilhosa.
The Fault in Our Stars foi o primeiro livro do John Green que eu li, e agora estou ansiosa para ler mais. A narrativa dele é simplesmente impecável. Um dos melhores livros que eu já li.
Tudo está no lugar certo, às palavras, vírgulas, parágrafos, cenas. Tudo se encaixa perfeitamente bem. Ele faz uns pensamentos brilhantes no decorrer do livro. A história vai seguindo e de repente tem uma frase que eu tinha que parar e ficar admirando. É uma história que vai continuar na minha mente ainda, pensando e repensando em tudo que aconteceu. Não é um livro que é lido e depois apenas guardado na estante. As frases e a história ficaram guardadas na minha mente. E tenho certeza que ficarão comigo por um bom tempo. Não quero e não vou conseguir esquecer.

6 de maio de 2012

Meme: Como você cria suas resenhas?


Recebi esse meme da Ni do Ninhada Literária. É bem curtinho e aqui estão as minhas respostas:

Nome: Gabriele
Blog: Livros e Vagalumes
Link do Blog: http://www.livrosevagalumes.blogspot.com

Suas resenhas nascem durante ou depois de lido o livro? 
Depois. Normalmente eu termino de ler o livro e escrevo uma resenha. Tenho minhas opiniões bem fresquinhas e fica mais fácil de escrever. Antes de postar no blog, eu sempre dou uma revisada no texto. 

Você cria diretamente no computador ou vai anotando em algum lugar?
Eu escrevo direto no computador. A única coisa que eu vou anotando durante a leitura são frases que eu gostei. Minha agenda é cheinha delas.

É sincera na opinião ou a escreve com a intenção de sempre agradar o autor ou editora?
Sempre sincera. Não escrevo com a intenção de agradar ninguém, eu avalio o livro pelo conteúdo dele. Mas nunca vou desmerecer um livro por completo, nenhum livro é totalmente ruim, pontos positivos sempre existem. E só porque eu não gostei de um livro, não quer dizer que alguém não possa gostar. Opiniões são opiniões.

Indicações:

Se alguém tiver interesse em responder, fique a vontade e sinta-se indicados.

5 de maio de 2012

Da livraria para a minha estante #31

Oi!


Antes de mostrar os livros, um aviso. Estou entrando em uma semana de provas e entregas de trabalhos bastante intensa e complicada, então estarei um pouco distante dos blogs de vocês. Logo, logo essa correria termina e então eu volto a comentar normalmente.



Hunger (Gone #2) - Michael Grant. Eu li Gone um tempo atrás - ainda não tem resenha, mas na semana que vem ela será postada - e fiquei bem animada para continuar a série. Achei Hunger na Cultura e comprei. Normalmente prefiro as capas originais as nacionais, mas eu acho as capas brasileiras da série bem mais bonitas...

Thirteen Reasons Why - Jay Asher. Falei no post da semana passada que tinha lido esse livro. Aqui está ele. Adorei a capa e a diagramação, principalmente o mapa com os lugares que a Hannah fala. Ali no cantinho tem um adesivo mostrando o lançamento do autor chamado The Future of Us, que eu quero muito ler.


Extras - Scott Westerfeld. Um livro 'extra' da série Feios que eu tanto adoro. Eu amei, amei, amei essa capa. A imagem dentro do olho é como se fosse um chip de computador. Estou louca para ler.


Leituras da semana! Depois de ler alguns livros mais 'pesados', eu queria uma leitura leve e divertida. Acabei escolhendo Dash and Lily's Book of Dares da Rachel Cohn e do David Levithan, não é muito conhecido por aqui, mas devia ser. O livro é simplesmente incrível. E li também, na quinta-feira Noite na Taverna do Alvares de Azevedo para aula de literatura.

Sobre esse livro, eu posso dizer que a narrativa do autor tem ritmo e reflete bem o romantismo exagerado daquele período.

Agora estou lendo O Apanhador no Campo de Centeio de J.D. Salinger. Estou bem no inicio e não sei ao certo que rumo a história irá tomar - o livro não tem sinopse atrás nem nas abas. Assim que terminar comento melhor sobre ele.

Como foi a semana de vocês?

Gabi 

3 de maio de 2012

Resenha: Estrela da Noite - Alyson Noël

Editora: Intrínseca
Essa resenha contém spoilers dos livros anteriores da série. Para ler as resenhas clique em: Para Sempre | Lua Azul | Terra de Sombras | Chama Negra
Haven está com um ódio mortal de Ever e Jude, já que eles mataram seu amado Roman. Ever continua na busca do antidoto para ela e Damen poderem se tocar novamente sem o risco de morte. E entre tudo isso Haven começa a perder o controle dos seus poderes e ameaçar Ever.
O grande problema que eu tive durante a leitura desse livro foi: ele é desnecessário. Honestamente, não acontece quase nada nele e é uma tremenda enrolação Tudo que acontece, poderia se desenrolar facilmente em umas sessenta páginas. O centro do livro é Haven ameaçando matar Ever e Jude. Para alongar mais a história, Alyson Noël colocou uns probleminhas ridículos entre Damen e Ever.
Pelo menos Ever não faz o mesmo erro de novo. Já até perdi as contas quantas vezes ela já fez a mesma bobagem. Isso foi o que salvou o livro. Enfim, andamos voltas, voltas, voltas e agora eu realmente quero um final. 

Como eu sempre falo, a narrativa da Alyson Noël é rápida e é fácil de ler. Ela escreve bem, caso contrário, os livros seriam chatos de ler, lentos e monótonos. Só gostaria que ela não tivesse enrolado tanto nessa série e principalmente nesse livro. Acho que ao invés de seis livros, ela poderia ter feito três, juntando a história de todos eles.

1 de maio de 2012

Book Blogger Hop #31


Algum personagem já te decepcionou? Você se apaixonou e depois “terminou” com ele(a) em algumas páginas ou no livro seguinte? Nos conte sobre ele(a).

Um personagem que me decepcionou muito foi a Shay da série Feios do Scott Westerfeld. A minha decepção e raiva por ela aumentava a cada livro da série. Eu achei que ela seria uma boa amiga para Tally, mas infelizmente não foi exatamente isso que aconteceu.
E também, no inicio de Fallen (da Lauren Kate) eu adorava o Cam. Adorava, adorava, adorava e depois ele foi ser alguém diferente do que eu pensava que era.

Gabi