28 de setembro de 2012

Resenha: O sentido de um fim - Julian Barnes


Editora: Rocco

Tony é um narrador não confiável que narra "O sentido de um fim". Não confiável porque ele está tratando de memórias. E com o tempo, essas memórias podem ser alteradas por ele mesmo e ele pode esquecer acontecimentos importantes.
Basicamente, o livro é um livro de memórias. Das mais vívidas para as confusas. Tony diz que teve uma vida mediana, em todos os pontos. E até o final, tenta entender uma história que começou quando era jovem. Quando ele está vivendo sua vida mediana, recebe uma noticia que o faz repensar em algo que aconteceu quase quarenta anos antes e que não foi devidamente entendido e terminado.
Foi o primeiro livro do autor que eu li e já senti sua narrativa diferente e muito boa. Esse livro ganhou o prêmio Man Booker Prize em 2011.
A história em si é simples, mas a maneira como o autor conta, deixa o leitor imerso na vida de Tony. Na minha visão do livro, eu analisei que o que faltou entre Tony e todos ao seu redor, para entender realmente o que tinha acontecido, foi falta de comunicação.
O livro aborda amizades de jovens que vão se dispersando com o tempo, romance, relacionamento de familiares e tudo isso de uma forma muito bem escrita. Eu gostei muito da maneira como o autor escreve, apesar do livro ter poucos diálogos, os parágrafos de Tony pensando e analisando sua vida, não são nem um pouco cansativos.
“Nós sabíamos por nossas leituras dos grandes livros que Amor envolvia Sofrimento, e teríamos de um bom grado praticado Sofrimento se houvesse uma promessa implícita, talvez até lógica, de que o amor poderia estar a caminho”.
É um livro diferente dos que eu estou acostumada a ler e dos que eu costumo falar por aqui, mas eu gostei muito e não me arrependo nem um pouco de ter comprado impulsivamente. Para quem quer conhecer autores novos e narrativas diferentes, ou para quem já gosta de narrativas mais calmas e pensativas, eu recomendo.

26 de setembro de 2012

Top 10: Séries que eu abandonei

Top 10 séries que eu abandonei

House of Night
Li os quarto primeiros livros e desisti. O motivo? São muitos livros. Já até perdi as contas de quantos livros tem essa série e acabei decidindo que não valia a pena continuar lendo, já que eu não tinha amado os primeiros.
Pretty Little Liars
Mesmo motivo: muitos livros. Acho que chega uma hora que é preciso escolher se vai continuar lendo uma série mediana ou ler outros livros. Escolho sempre outros livros. Eu assisto a série de TV e já é o suficiente para mim.

24 de setembro de 2012

Resenha: The mind readers - Lori Brighton

Cameron consegue ler os pensamentos das pessoas ao seu redor. Foi assim durante toda a sua vida, ela finge ser uma pessoa normal, quando na verdade, ela se sente uma estranha. Sua avó diz que ela precisa esconder isso, que existem pessoas que querem machuca-la, mas Cameron não consegue acreditar.
Um dia, um menino novo entra na escola. Lewis é charmoso, intrigante e misterioso. Aos poucos, vai mudando tudo que Cameron pensava que era verdade. Que existe muitas coisas que ela não sabe, e que ele pode lhe mostrar.
The Mind Readers foi um livro que eu comprei por dois motivos: estava de graça na Amazon e eu me interessei pelo fato da personagem ler mentes. Comecei a ler sem nenhuma expectativa e bem no inicio, já fui levada para a história.
Eu vou dividir o livro em inicio, meio e fim. Para comentar melhor na resenha, porque eu achei cada parte diferente da outra.
O inicio do livro, conhecemos Cameron, sua vida e Lewis aparece. Isso tudo deixa o leitor intrigado, os diálogos entre os dois são muito bem escritos e as personalidades de todos os personagens, principais e secundários, formam uma atmosfera de colegial bem interessante.
Depois, mudamos de lugar e novos personagens aparecem. Dessa vez mais misteriosos e junto com a Cameron, eu não sabia em quem confiar. Quem era do bem e quem era do mal. A minha conclusão foi que nenhum dos lados estava correto.
E infelizmente, o final me decepcionou bastante. Esse livro tem uma continuação chamada The Mind Thieves, mas eu não vou correr loucamente para lê-la. Foi um final que eu não queria que acontecesse o que aconteceu, mas enfim, deu um gancho poderoso para a continuação.
A autora tem uma narrativa bem normal, eu realmente adorei a história de ler a mente das outras pessoas. Por mais que parece algo legal, acredito que saber o que as pessoas pensam, nem sempre é gratificante.
É um bom livro, eu gostei muito mesmo até chegar-nos 90% restantes. Acredito que a série tenha bastante potencial, gostei bastante dos personagens e do mistério que a autora coloca neles. Ele está sendo honesto? Isso é realmente verdade? Ela não entrega direto ao leitor quem é quem no livro e isso foi bem interessante.

Esse livro não foi traduzido para o português e não tem previsão de publicação no Brasil.

22 de setembro de 2012

Resenha: Sophie and Carter - Chelsea Fine


Eu amo quando compro livros impulsivamente, sem nem ler direito a sinopse e acabo me apaixonando pela história.
Sophie e Carter nunca se falam na escola. Eles fingem que não se conhecem e que nunca se falaram. A verdade? Eles se encontram todas as noites no balanço da sacada de Sophie para conversar.
Ambos têm problemas em casa e vidas complicadas. Carter tem que cuidar da mãe, que sofre com as drogas e alucinações. Sophie tem que ser a mãe de seus irmãos, já que sua mãe verdadeira os deixou para seguir sua carreira nada digna.
É um livro curto, mas a história cativa e encanta desde as primeiras páginas. O relacionamento dos dois é maravilhoso, um apoia o outro, eles s entendem e procuram ajudar o máximo possível. E uma amizade do mais alto nível. Eles se preocupam um com o outro e Carter faz Sophie se sentir melhor e Sophie faz Carter se sentir melhor. Um precisa do outro para continuar vivendo.
As histórias familiares de cada um também foram muito bem escritas e mostradas. Eu li um livro em umas duas horas e não vi o tempo passar, estava totalmente imersa na história, nos personagens e em tudo que a autora ia mostrando.
O livro é simples, os capítulos vão alternando do ponto de vista da Sophie para o de Carter, e isso faz o leitor entender os dois polos do livro. Faz o leitor gostar e se importar com os dois personagens. É uma história bonita, contada de uma maneira simples, mas que me conquistou.
Algo que realmente amo nos e-books do kindle que eu ando comprando, é que eles me dão a oportunidade de ler livros maravilhosos, como Sophie & Carter.

Esse livro não foi traduzido para o português e não tem previsão de publicação no Brasil.

20 de setembro de 2012

Resenha: What a boy wants - Nyrae Dawn


Sebastian Hawkins, depois de ver sua mãe passar por diversos relacionamentos ruins, acaba aprendendo sobre relacionamentos. E já que ele precisa de dinheiro para comprar um carro, ele começa um trabalho de conselheiro amoroso pela internet. E seus resultados, são sempre positivos.
Mas Sebastian nunca se apaixona. Ele não entra em relacionamentos, ele apenas fica com as meninas. Até que chega uma hora que ele não consegue mais se imaginar com outras meninas, porque por mais que ele não queira, ele acabou se apaixonando.
What a boy wants é narrado pelo ponto de vista do Sebastian. Isso foi uma mudança bem agradável, já que normalmente lemos histórias com uma narrativa feminina. Eu não sei como funciona a mente dos meninos, mas pelo que eu já tentei descobrir e entender, Sebastian foi muito bem retratado.
E por ter uma narrativa do ponto de vista dele, eu fui obrigada a discordar em alguns pontos do pensamento dele, mas isso não influenciou em nada a minha leitura. É uma narrativa bem divertida, rápida e agradável de ler.
Eu gostei também de ver a evolução do Sebastian ao decorrer do livro. Quando as pessoas mudam para melhor, eu realmente admiro. Sebastian tinha uma personalidade que não era das melhores e ele realmente aprendeu e cresceu até o fim do livro.
Aspen é uma menina que eu me vi nela em vários aspectos. E o engraçado é que quando eu leio pelo ponto de vista da menina, eu fico intrigada pensando em como o menino está pensando e dessa vez foi bem ao contrário. Apesar de eu entender Aspen sem precisar ter a história narrada por ela.
Eu recomendo o livro, o que mais me fez gostar do livro foi a troca dos pontos de vista e o relacionamento dos personagens.

Esse livro não foi traduzido para o português e não tem previsão de publicação no Brasil.

18 de setembro de 2012

Resenha: A última carta de amor - Jojo Moyes


Cartas... Um costume lindo que acabou se perdendo no tempo. É claro que e-mails, mensagens de texto, facebook e twitter são mais rápidos e práticos, mas nada substitui a sensação de receber uma carta. De ler algo com a caligrafia da pessoa, é algo insubstituível.
Ellie está procurando material para escrever uma reportagem quando acaba encontrando uma carta antiga. Uma carta que desperta uma curiosidade de jornalista nela, ela quer saber o que aconteceu com as duas pessoas envolvidas. Destinatário e remetente.
A última carta de amor narra duas histórias em períodos diferentes. Temos a história de Jennifer, nos anos 60. Ela acorda em um hospital depois de sofrer um acidente de carro e sua memória está comprometida, ela encontra escondida uma carta de amor assinada por um tal de B. Alguém que ela não se lembra de ter conhecido e de ter tido um relacionamento. E temos a história de Ellie, nos dias de hoje.
Eu adorei a maneira como a autora contextualizou os anos 60. Com os costumes da época e a maneira como os relacionamentos aconteciam. Na época, as mulheres não tinham independência como tem hoje, o trabalho delas era cuidar da casa.
A autora vai para o passado de Jennifer, presente de Jennifer e presente de Ellie de uma maneira que dá ritmo ao livro. Eu gostei das duas histórias e gostei da maneira como elas se juntaram no final.
Vemos Ellie percebendo como as cartas de amor significavam mais que uma mensagem de texto, como as cartas de amor expunham os sentimentos do autor e como ela sentia falta disso na sua vida. Analisando os personagens, todos foram bem caracterizados, todos ajudaram a compor o livro e torna-lo completo.
A narrativa da autora tem ritmo, mas é um ritmo mais devagar. Não é algo que me impediu de gostar do livro e sim foi algo que fez com que eu gostasse muito mais. Foi um livro que me agradou bastante, é um romance bem escrito e que mescla duas épocas diferentes muito bem.

16 de setembro de 2012

Resenha: O zen e a arte da escrita - Ray Bradbury


Além de ter uma capa maravilhosa, O zen e a arte da escrita é um livro inspirador.
Ray Bradbury, autor de Fahrenheit 451, escreve sobre escrever. Ele fala sobre como ele começou a escrever, seus primeiros contos, onde ela tira inspiração e sobre a arte da escrita em geral.
Ele fala sobre inspiração, como a inspiração vem e como ela deve ser tratada. Fala sobre escrever com amor e realmente amar aquilo que se está fazendo.
Eu adorei o livro, é um livro que inspira e que anima a escrever. Não tem uma história linear então eu aproveitei e li com calma, fui lendo pequenas partes cada vez que pegava o livro e ia absorvendo tudo que Ray Bradbury fala. E ele fala coisas maravilhosas, que realmente, inspiram. Ele conta também a história de Fahrenheit 451, como ele escreveu em uma máquina de escrever que cobrava dez centavos a meia hora em um porão de uma biblioteca. Eu gostei tanto de Fahrenheit 451 que gostei de saber um pouco mais da história por trás.
É um livro que eu recomendo muito para quem gosta de escrever, quem quer começar e quem quer ler as palavras de alguém que em minha opinião, possuí a arte da escrita. Ray Bradbury divide dicas, comentários e conselhos com o leitor.
Gostei muito de ter lido o livro, eu realmente consegui tirar grandes ensinamentos dele.

14 de setembro de 2012

Resenha: O que aconteceu com o adeus - Sarah Dessen


Editora: iD

O que aconteceu com adeus conta a história da McLean, uma menina que em dois anos, viveu em quatro cidades diferentes. Usando quatro nomes e personalidades diferentes.
Depois do divórcio dos seus pais e o novo casamento da mãe, ela escolhe ficar com seu pai, que trabalha em uma consultoria de restaurantes com problemas e se muda bastante. E a mudança de personalidades vem do fato de ela estar tentando fugir de tudo isso, de todo o seu passado e de quem ela é.
Mas chegando à sua nova cidade, ela acaba ficando com seu próprio nome e começa a redescobrir quem ela realmente é.
A narrativa da Sarah Dessen é tão delicada, tão maravilhosa que faz a leitura se tornar prazerosa. Esse foi o quarto livro que eu li da autora e ela sempre escreve sobre personagens reais, situações reais, e faz isso muito bem.
O que aconteceu com o adeus não se tornou meu livro favorito da autora, mas a maneira como ela aborda família e os problemas da família da McLean é incrível. Eu disse isso na resenha de Lock and key, a Sarah Dessen apresenta vários personagens ao leitor e desenvolve praticamente todos eles. Ela envolve o leitor com todo o contexto que cerca a personagem principal. E sempre dá uma grande importância a família e a amigos.
É uma das poucas autoras que eu sinto isso. Que eu sinto que eu estou totalmente dentro da vida da personagem. McLean é uma personagem que está tentando se encontrar, ela mudou tantas vezes de personalidade e agora precisa encarar a verdadeira, quem ela realmente é.
Eu gostaria que tivesse tido um pouco mais de romance no livro, apenas um desejo meu de leitora lendo as cenas de Dave e McLean. Mas enfim, eu simplesmente adorei quando ele fala de amigos das duas da manhã.
Recomendo o livro, mas prefiro outros da autora. Meu favorito ainda é Just Listen e A caminho do verão. Mas Sarah Dessen é Sarah Dessen, acho que é uma autora que merece uma chance de todo mundo. Ela escreve livros totalmente reais. Sem ‘milagres’ ou acontecimentos que só acontecem em livros. O que acaba acontecendo nas histórias dela é a mais pura realidade. E eu gosto muito disso. É uma leitura honesta sobre a vida e os acontecimentos presentes nela.

12 de setembro de 2012

Top 10: livros que fazem pensar

Meme do blog The Broke and the Bookish
Top 10: Livros que me fazem pensar (sobre o mundo, pessoas, vida, etc)

Cidade Mágica – Drew Lerman
Eu adoro a maneira como esse livro me entende. Eu e Henry, apesar de sermos completamente diferente, pensamos muitas vezes da mesma forma. Ele me fez pensar bastante na vida e em vários aspectos dela.

As Vantagens de ser Invisível – Stephen Chbosky
Esse livro me marcou de uma forma bem diferente dos outros. A sensação que eu tive quando terminei, foi única. O autor fez com que eu pensasse no meu modo de viver. Me fez pensar o que significa ser uma pessoa invisível, um wallflower.

10 de setembro de 2012

Resenha: Apaixonada por Palavras - Paula Pimenta


Editora: Gutenberg

Se eu achava difícil escrever resenhas de livros de contos, posso dizer que escrever sobre crônicas é ainda mais. Apaixonada por palavras é um livro composto por crônicas. Crônicas escritas pela Paula Pimenta de 2000 a 2009.
Eu gosto bastante de crônicas, eu gosto de ler e gosto principalmente de escrever crônicas. Nas crônicas, se pode conhecer um pouco mais sobre o autor, sobre sua vida, a maneira com que vê as coisas e como pensa. E é exatamente isso que eu senti lendo Apaixonada por Palavras, senti como se eu tivesse conhecido a pessoa por trás de Fazendo meu Filme.
As crônicas da Paula são verdadeiras e são apaixonadas. Ela aborda diversos temas, sendo amor o principal. É como você ler entradas do diário de alguém, é legal e é interessante.
Algumas eu gostei mais que outras. Algumas eu me senti mais próxima que outras, mas em suma, a Paula Pimenta tem talento. Para escrever tanto histórias com seus personagens como para escrever crônicas, onde ela é a personagem.
É um daqueles livros que pode ser lido de duas maneiras. Pode ser lido rapidamente, devorado como eu fiz ou, você pode ir lendo as crônicas com calma. E é isso que eu mais gosto em crônicas, como não são uma história linear, pode ser lido fora de ordem, pode ser um livro de cabeceira, onde cada noite você lê uma. É um livro versátil.
O trabalho de diagramação da Gutemberg foi muito bem feito. A capa me deixa com fome e é um livro bonito, tem todos os sentidos.
Eu recomendo a leitura! Para quem já gosta dos outros livros da Paula ou para quem quer começar a ler algo dela. E já quer começar conhecendo a autora.

9 de setembro de 2012

Sorteio: P.S. Eu te amo


Começando hoje até abril do ano que vem, os sorteios vão ser um pouquinho diferentes. Tirando os casos de livros que serão lançados no Brasil que eu já li, eu farei os sorteios sem ter lido os livros antes, como eu costumava fazer. Não quero deixar o blog parado e achei que essa era a melhor saída.

O primeiro será de P.S. Eu te amo. Vocês podem ler a sinopse aqui:

Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.

Vocês podem participar até o dia 07 de outubro. O resultado será divulgado quando eu conseguir fazer o sorteio, não prometo que será no dia em que o formulário parar de aceitar entradas. Boa sorte a todos e qualquer dúvida, podem entrar em contato comigo.


a Rafflecopter giveaway

8 de setembro de 2012

Aviso


Eu já tinha mencionado isso no post de domingo, mas resolvi fazer um post direitinho explicando melhor. Estou indo, hoje, para a Inglaterra em um intercâmbio de sete meses. E eu quero só avisar como o blog vai continuar funcionando nesse período.
Se eu disse normalmente, será uma mentira, mas nada vai mudar muito. Eu tenho posts para todo setembro e inicio de outubro e eu com certeza vou continuar lendo por lá. Então a frequência de posts, nesse inicio, será a mesma. Dia sim, dia não. Talvez depois, em novembro, dezembro, isso mude um pouco, mas eu acredito que não.
A maior diferença é que eu vou ficar mais ausente. Para visitar os blogs de vocês principalmente. Então peço um pouco de paciência, eu visitarei sempre que possível, mas a frequência disso irá com certeza diminuir.
As promoções continuarão normalmente, a única diferença é que nem sempre eu terei lido o livro que estou sorteando. Mas isso não é um grande impacto para vocês.
É isso, o blog vai continuar e eu espero que continuem por aqui!
Gabi

6 de setembro de 2012

Um nome literário para meus filhos


A Naty do Just Books fez um post comentando nomes inspirados em personagens de livros que ela daria para os seus filhos. Eu gostei da ideia e resolvi comentar por aqui.
A primeira coisa que eu penso que eu não vou poder dar esses nomes para os meus filhos, porque eles vão sofrer na escola, na vida e tudo mais, principalmente por problemas de pronúncia e porque não são nomes comuns no Brasil. Estou colocando junto o link das resenhas, onde eu comento mais sobre eles e sobre o livro. Esses são os nomes que eu gostaria de dar...

4 de setembro de 2012

Resenha: Caminhos de Sangue - Moira Young


Eu adoro quando eu sento para ler um livro e só consigo ir fazer outra coisa quando terminei. Isso aconteceu com Caminhos de Sangue: é um livro viciante.
Saba nasceu na Lagoa de Prata, um território afastado de todo o resto. Com poucos recursos, falta de água, ela e sua família tiveram uma vida bastante complicada. Um dia, após o seu aniversário de dezoito anos, homens estranhos aparecem e levam seu irmão gêmeo embora. Sem maiores explicações. Saba, que passou a vida toda vivendo nas sombras dele, sabe que precisa encontrá-lo. Precisa ir atrás dele e salvá-lo.
Caminhos de Sangue narra toda a jornada de Saba ao encontro do seu irmão. O inicio do livro é um pouco lento, o leitor precisa se acostumar com a narrativa diferente da autora. Diferente em vários sentidos, um deles é a linguagem dos personagens. Eles nunca tiveram educação, nunca tiveram acesso a nada que os ensinasse a falar "corretamente", então eles falam, por exemplo: olhano no lugar de olhando. Num no lugar de não e várias outras. 

Mas isso foi necessário para caracterizar os personagens. Outro ponto é a falta de travessão. Isso fez com que eu tivesse que prestar bem mais atenção para não misturar quando era uma fala e quando era um pensamento.
Mas depois que acostuma, isso não passa a ser um problema e passa a ser essencial para a história ser o que é. Eu gostei muito dos personagens do livro. Na capa, diz que é perfeito para os fãs de Jogos Vorazes, a semelhança que eu encontrei entre os dois foi as protagonistas. Saba é durona, forte, teimosa e não desiste nunca, como a Katniss.
Temos um mocinho com a personalidade que eu gosto. Que se acha o tal, cheio de comentários sarcásticos e com um bom humor. Depois que Jack aparece a história passou a ser bem mais bem humorada. E o relacionamento dele com a Saba é do jeito que eu gosto também. Eles passam uma boa parte do tempo se implicando. Não sei o motivo, mas eu gosto disso.
Emmi, a irmãzinha menor da Saba me conquistou demais. Minha personagem favorita do livro.
O livro é forte, é diferente, é rápido e eu adorei.

2 de setembro de 2012

Da livraria para a minha estante #42


Olá!

Eu estava com esse post programado para sexta-feira, e passei a semana inteira esperando o meu kit de P.S. Eu te amo chegar para poder tirar as fotos e nada dele chegar. Quem me segue no twitter percebeu minha ansiedade. Mas ele chegou, sexta-feira de manhã e valeu a pena esperar: é maravilhoso.

Eu vou fazer um post melhor, mas essa é a minha última semana no Brasil. Eu vou viajar para Inglaterra e fazer um intercâmbio de sete meses, então tudo está bem tumultuado por aqui, enfim, no final da semana eu escrevo mais sobre isso.

Tenho vários livros legais para mostrar então...