16 de setembro de 2012

Resenha: O zen e a arte da escrita - Ray Bradbury


Além de ter uma capa maravilhosa, O zen e a arte da escrita é um livro inspirador.
Ray Bradbury, autor de Fahrenheit 451, escreve sobre escrever. Ele fala sobre como ele começou a escrever, seus primeiros contos, onde ela tira inspiração e sobre a arte da escrita em geral.
Ele fala sobre inspiração, como a inspiração vem e como ela deve ser tratada. Fala sobre escrever com amor e realmente amar aquilo que se está fazendo.
Eu adorei o livro, é um livro que inspira e que anima a escrever. Não tem uma história linear então eu aproveitei e li com calma, fui lendo pequenas partes cada vez que pegava o livro e ia absorvendo tudo que Ray Bradbury fala. E ele fala coisas maravilhosas, que realmente, inspiram. Ele conta também a história de Fahrenheit 451, como ele escreveu em uma máquina de escrever que cobrava dez centavos a meia hora em um porão de uma biblioteca. Eu gostei tanto de Fahrenheit 451 que gostei de saber um pouco mais da história por trás.
É um livro que eu recomendo muito para quem gosta de escrever, quem quer começar e quem quer ler as palavras de alguém que em minha opinião, possuí a arte da escrita. Ray Bradbury divide dicas, comentários e conselhos com o leitor.
Gostei muito de ter lido o livro, eu realmente consegui tirar grandes ensinamentos dele.

5 comentários:

  1. Ainda não li nada dele, parece bem legal...
    :D

    ResponderExcluir
  2. Tava esperando essa resenha desde que vi seu post dele na estante! Gosto de livros assim, esse vai pra minha lista de futuras aquisições ASAP!

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda preciso ler esse livro, faz tempo que comprei!
    Mas que bom que vc gostou, me deixa mais animada! Só falam coisas boas sobre esse livro mesmo... :P
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi

    Adorei saber isso sobre a maquina de escrever, imagina trabalhar assim ... fora que eu adoro maquinas de escrever. Esse é um para ter.

    Bjus

    ResponderExcluir
  5. Pois então, eu sou uma pessoa que gosta muito de escrever, me sinto bem, sinto que estou passando algo legal, ainda que não tenha muito conhecimento da vida, sei que o que vivi é suficiente para rabiscar algo.
    Bradbury foi um gênio, então o livro deve ser muito bem escrito e uma ótima dica para quem escreve.. No dia que eu escrever metade do que ele escreve já me darei por feliz.
    Beijão!

    ResponderExcluir