29 de junho de 2013

Resenha: O Diário de Helga - Helga Weiss

 Livros sobre momentos marcantes na história fazem com que eu me lembre de que a história que lemos em livros didáticos é o que aconteceu de forma generalizada. Temos um número de mortos durante a Segunda Guerra Mundial nos Campos de Concentração, mas fica difícil perceber que cada número é uma pessoa. Com uma história.
“Cada número, porém, contém um destino humano, uma história. Meu diário é apenas uma delas” – Helga Weiss, p. 25
Eu adoro história, e gosto ainda mais, quando eu posso ler sobre os acontecimentos sob a perspectiva de alguém que presenciou momentos tão marcantes.
Apesar de já ter estudado a Segunda Guerra Mundial, enquanto eu lia esse livro, eu senti surpresa ao ver os acontecimentos relatados por Helga. Eu li O Diário de Anne Frank no inicio do ano e o livro termina no momento onde eles são levados para o campo de concentração, ou seja, não há relatos no livro do que era a vida lá. Com o Diário de Helga, é diferente.
As entradas do diário não tem uma data exata, e muito foi escrito depois de Helga ter saído do campo de concentração, no final da guerra. E ainda assim, é um livro extremamente real. É narrado no presente e dói ler sobre as condições em que Helga e milhares de pessoas viviam, sobre a fome que passavam, o frio, as doenças, o trabalho forçado e as incertezas sobre o futuro.
É um livro pesado, forte, que me fez chorar e é um livro que eu recomendo muito. A edição da Intrínseca está maravilhosa, com um glossário com palavras em tcheco e alemão, uma parte no final do livro com notas explicando melhor alguns trechos do livro e com uma entrevista com a Helga Weiss. A autora trabalha hoje como artista plástica e tinha o costume de desenhar desde pequena, o livro trás diversos desenhos dela ilustrando sua vida nos campos de concentração.

25 de junho de 2013

Resenha: The Great Gatsby - F. Scott Fitzgerald


A minha história com The Great Gatsby já tem bastante tempo. Eu tenho o livro desde 2010 e perdi as contas de quantas vezes eu começava a ler o livro e acabava desistindo depois de umas vinte páginas lidas.
Eu coloquei uma meta esse ano, que iria terminar de ler o livro antes de o filme estrear. E eu cumpri essa meta. Contudo, após terminar a leitura, minhas opiniões sobre a obra são conflitantes.
Começando pelo começo, sobre o que fala The Great Gatsby? O livro se passa no verão de 1922, após a Primeira Guerra Mundial, em uma sociedade baseada no excesso. O livro é narrado por Nick Carraway, que é vizinho de Jay Gatsby. Gatsby é conhecido por suas festas maravilhosas e por ser um homem extremamente rico. Sua fortuna, ninguém sabe ao certo de onde vem.
Nick Carraway é primo de Daisy Buchanan que é casada com Tom Buchanan. E depois de várias e várias páginas, é descoberto que o motivo das festas de Gatsby é conquistar novamente Daisy.
Os meus sentimentos conflitantes aparecerem porque eu entendo o motivo que esse livro é um clássico americano, eu entendo o que o autor mostrou no livro, eu gostei da história e a maneira como F. Scott Fitzgerald retratou a sociedade da época, é incrível.
Contudo, foi uma leitura lenta, difícil e eu pensei em desistir em diversos momentos. 
Eu precisei pensar muito, após terminar a leitura, principalmente para entender tudo o que é mostrado no livro e para refletir sobre o que a história mostra.

A relação entre Gatsby e Daisy é intrigante. A relação entre Daisy e Tom é intrigante. E isso é o que me faz escolher dizer que sim, que eu gostei do livro. O autor conseguiu atingir algo que eu considero imensamente difícil. O livro é um retrato da sociedade da época. F. Scott Fitzgerald usou simbolismos e metáforas de uma forma maravilhosa.
Acredito que esse seja um livro que eu irei reler no futuro. Não por ser um livro que eu amei, mas sim por ser um livro complexo e por ter a maior parte da sua verdadeira história nas entrelinhas. 

24 de junho de 2013

Sorteio: "A livraria 24 horas do Mr. Penumbra"



Olá! Hoje começa o sorteio de "A livraria 24 horas do Mr. Penumbra", livro que já tem resenha aqui no blog. Vocês podem participar até o dia 21 de julho, e o resultado será divulgado no twitter e na página do facebook do blog.

Eu irei enviar um e-mail para o vencedor e esse terá uma semana para responder com seus dados, caso contrário, um novo sorteio será realizado.

Qualquer dúvida, vocês podem entrar em contato comigo.

a Rafflecopter giveaway

21 de junho de 2013

Resenha: A livraria 24 horas do Mr. Penumbra - Robin Sloan

Clay Jannon precisa urgentemente de um emprego. Ele está sem opções e acaba aceitando trabalhar no turno da madrugada em uma livraria 24 horas misteriosa. Mr. Penumbra, o dono, é estranho e tem uma forma interessante de cuidar da livraria. Os clientes do local condizem com a aparência do dono, são sempre os mesmos e são poucos.
A livraria não possui muitos livros atuais, e sim livros misteriosos, antigos e proibidos. Contudo, ao passar madrugadas e madrugadas sozinho, sem clientes, Clay não consegue controlar a curiosidade.
Esse livro tinha todos os pontos para me agradar: uma premissa interessante, uma livraria misteriosa e muitas resenhas positivas. Infelizmente, não funcionou.
A história tem um enredo intrigante que faz o leitor sentar e ler o livro, entretanto, a maneira como o autor conduziu todos os acontecimentos não foi a melhor, em minha opinião. Eu não consegui em nenhum momento me interessar pelos personagens, e eu achei que foram mal desenvolvidos e explorados. O relacionamento entre eles também foi retratado de forma muito superficial, e eu gostaria de ler mais sobre esses aspectos.
A narrativa de Robin Sloan foi boa. Não vi nenhum ponto interessante, contudo nada me incomodou. Algumas cenas eu achei desnecessárias e outras, achei que mereciam um pouco mais de atenção.
A ideia da livraria misteriosa e a sociedade secreta existente por trás disso é maravilhosa e ir descobrindo aos poucos o que acontecia e os segredos, foi a melhor parte do livro. É interessante o fato do autor juntar costumes antigos com costumes novos e criar uma intriga entre personagens com base nesses fatores. Como o uso da tecnologia ou a permanência de métodos antigos de pesquisa.
É um livro que eu acredito que agrade muitas pessoas, principalmente devido a quantidade de comentários positivos que eu li na internet. Infelizmente, não funcionou para mim. Eu tinha expectativas altas, mas o livro acabou me decepcionando.

18 de junho de 2013

Tag: Mundo YA

Olá,

Estou conseguindo gravar vídeos com mais frequência! Acho que tags, no geral, são mais divertidas no formato de vídeo. Ninguém me indicou para essa tag, mas eu vi no canal da Tatiana Feltrin, o Tiny Little Things e achei legal de responder.

No geral, eu estou lendo em um ritmo extremamente lento esse mês. Provas, simulados e o vestibular estão tomando toda a minha atenção e está bem difícil. Enfim, espero que gostem do vídeo!



Gabi

15 de junho de 2013

Resenha: A Elite - Kiera Cass


Essa resenha pode conter spoilers de A Seleção.
Agora, com apenas seis meninas sobrando, a competição pelo coração de Maxon (ou pela coroa...) está cada vez mais acirrada.
America está cada vez mais em dúvida entre Maxon ou Aspen. Triângulos amorosos normalmente fazem com que eu não goste tanto de um livro, porque eu não gosto de todo o dilema de não conseguir escolher. Contudo, eu gosto tanto da America como personagem, que eu acabo gostando  da história, apesar da indecisão absurda dela.
Eu, como leitora, não estou dividida entre Maxon e Aspen. Maxon me decepcionou bastante nesse livro. Algumas ações dele me deixaram com o coração partido. Porque mexe com uma parte minha que não deveria ser mexida desse jeito. Não por um príncipe. Enfim. Eu até entendo a dificuldade da posição dele, eu entendo o motivo por trás de suas ações, mas eu, como leitora, me senti decepcionada. Eu não esperava algumas coisas que ele fez.
Gosto muito da narrativa da Kiera Cass, por proporcionar que o leitor entenda as ações da America. Eu adoro ela como personagem, eu gosto que ela seja diferente das outras, tenha opinião própria e lute por aquilo que ela acredita. Mesmo que as consequências disso não sejam as melhores.
Algo que eu esperava ver nesse livro e agora estou colocando todas as minhas expectativas no terceiro livro, era que eu queria saber sobre o governo, o que acontece nos bastidores daquela monarquia aparentemente perfeita e o que acontece nas castas e o que os rebeldes querem. Eu queria mais desenvolvimento no lado distópico e em tudo que acaba ficando em segundo plano.
Eu gostei do livro. Apesar dessas ressalvas, a narrativa é viciante, os personagens são intrigantes e eu adoro a ambientação do palácio e de príncipes e princesas. Infelizmente, o fato de eu ter me decepcionado com o Maxon influenciou um pouquinho na avaliação geral da história. Agora resta esperar pelo terceiro e último livro, The One, que será lançado apenas em 2014.
E eu sei que estou na minoria que não é muito fã do Maxon, ele vai precisar se redimir muito comigo no próximo livro.

12 de junho de 2013

Resenha: Boca de Ouro - Nelson Rodrigues

Eu demorei a finalmente ler algo do Nelson Rodrigues, precisou o vestibular entrar em cena e uma das leituras obrigatórias ser um livro do autor para eu me convencer a ler. E como na maioria das vezes, eu fiquei me perguntando “por que eu não li antes?”.
Boca de Ouro é conhecido como um malandro carioca, seu nome vem de uma passagem no inicio do livro, no momento onde ele vira uma pessoa com dinheiro, que ele melhora de vida, ele troca todos os seus dentes por dentes de ouro. Quando Boca de Ouro é assassinado, um repórter tem a missão de investigar seu passado. Quem Boca de Ouro realmente era?
O repórter decide entrevistar dona Guigui, uma antiga amante de Boca de Ouro, e ela acaba contando diversas versões de uma mesma história. Mudando sua opinião sobre o Boca de Ouro diversas vezes.
O livro é narrado com forma teatral. É uma narrativa diferente, contudo, eu gosto bastante. São poucos personagens, muitos não recebem nomes. Antes de cada cena, o leitor é localizado em onde a cena está acontecendo. Eu me senti assistindo a uma peça teatral durante a leitura, Nelson Rodrigues deu voz aos seus personagens e eu os ouvi.
A maneira como ele narra à história é incrível. As histórias que dona Guigui conta, são baseadas no seu lado emocional. Sendo que a primeira vez que ela conta, ela ainda não sabe do assassinato de Boca de Ouro.
E essa personagem, me chamou muita atenção por apresentar essa característica tão humana. Não se sabe qual das versões é a correta, ou se alguma delas é correta de fato. O leitor não sabe ao certo, quem era o Boca de Ouro.
Nelson Rodrigues critica bastante a imprensa . Com um repórter que faz de tudo para conseguir material para sua reportagem. É um livro que pode ser lido rapidamente e é um livro maravilhoso. Eu recomendo muito conhecer o trabalho do autor. E pretendo ler mais obras dele no futuro.

8 de junho de 2013

Resenha: A Seleção - Kiera Cass


Adoro livros que fazem com que eu fique até tarde lendo e que eu preciso me obrigar a parar para ir dormir. A Seleção foi assim, desde o momento que eu comecei a ler, eu não conseguia soltar.
A sociedade no mundo da Kiera Cass é dividida em castas. America Singer faz parte da casta de número cinco, ou seja, ela não vive em boas condições e sua família tem dificuldades para conseguir alimentos. Aspen, o namorado secreto da America está na casta de número seis. Por isso, eles namoram em escondido.
America está na faixa etária certa para participar da Seleção. Todas as meninas de 16 a 20 anos podem se inscrever, e as 35 selecionadas irão participar de um reality show, onde o príncipe Maxon, irá escolher sua futura esposa. Participar do concurso, significa que sua família irá receber uma quantia por semana e já que eles realmente precisam e é uma chance única, America é convencida por sua mãe e até mesmo por Aspen a participar.
Ver seu nome entre as escolhidas é uma grande surpresa. E America sabe que deve ser a única menina a não estar animada em participar da Seleção. Já que seu coração pertence à outra pessoa.
Eu li A Seleção depois de já ter visto muitas pessoas falando super bem sobre a história. Então sim, esperava que fosse ser bom. O livro não me decepcionou, eu adoro essas histórias envolvendo príncipes, princesas e tudo mais, e fazia muito tempo que eu não lia nada envolvendo esses elementos.
A história é bem simples, com um triângulo amoroso que felizmente não me irritou e com personagens que me conquistaram. A narrativa em primeira pessoa é perfeita para o leitor entender a mente da America. Eu vi muitas características minhas na personagem, e eu gostei muito disso. A competição entre as 35 meninas é intrigante de ler, tem muita concorrência e conflitos psicológicos.
A maioria das meninas só pensam em agradar o príncipe, querendo ser as mais bem vestidas, as mais bonitas e as que fazem tudo para ser alguém que ele quer. É uma competição fútil, com características reais. Espero que a autora desenvolva um pouco mais o mundo que ela criou, explicando melhor os rebeldes e alguns outros pontos que ficaram em aberto.
Eu comprovei a minha teoria e adorei o livro. Recomendo bastante, a narrativa da autora é completamente viciante e os personagens são adoráveis.

5 de junho de 2013

Top 10 Tuesday: Livros que envolvem viagens!

(Top 10 Terça está sendo postado na Quarta-feira... Mas enfim, espero que gostem!)

Second Chance Summer – Morgan Matson
Ashley e sua família vão passar as férias de verão em uma casa do lago, lugar onde já passaram diversas férias em família, mas que não visitam tem tempo.
Amy and Roger’s Epic Detour – Morgan Matson
O livro conta a Road Trip de Amy e Roger, e sobre os desvios que eles vão fazendo do trajeto original, detalhado pela mãe de Amy. É um livro muito fofo e é impossível terminar de ler sem desejar fazer uma road trip.
Jogos Vorazes – Suzanne Collins
Peeta e Katniss viajam do Distrito 12 para a Capital! É uma parte pequena do livro, mas é uma viagem.
A Caminho do Verão – Sarah Dessen
Auden resolve que vai passar as férias de verão na cidade litorânea onde seu pai mora. É um livro adorável e eu recomendo muito lerem qualquer livro da Sarah Dessen.

2 de junho de 2013

Leituras de Maio (2013)

Olá!

Achei que eu nem ia conseguir fazer o vídeo, mas no fim deu tudo certo e aqui está! Os livros que eu li no mês de maio:




Resenha:
Ready Player One - Ernest Cline

As outras resenhas serão publicadas em breve.

E vocês? Quais livros leram em maio?

Gabi

1 de junho de 2013

Sorteio: "Liberta-me" - Tahereh Mafi


Faz tempo que eu não faço nenhum sorteio aqui no blog! O sorteio que começa hoje é do segundo volume da trilogia da Tahereh Mafi, Liberta-me. Vocês podem participar até o dia 29/06 e o resultado será divulgado no twitter e na página do facebook do blog.


a Rafflecopter giveaway