16 de setembro de 2013

Resenha: "Morte Súbita" - J. K. Rowling

O livro se inicia com a morte repentina de Barry Fairbrother, conselheiro da pequena cidade fictícia de Pagford, na Inglaterra. O enredo consiste nas consequências que a morte dele trás para diversos moradores da cidade e como as ações de um, influenciam a vida de outros.
Não existe um personagem principal em Morte Súbita, em uma narrativa de terceira pessoa, o leitor é levado para os diversos círculos sociais, famílias e relacionamentos. Logo no inicio do livro, é apresentado os diversos conflitos existentes entre os personagens. Pagford é uma cidade pequena que guarda grandes intrigas.
Os personagens do livro, em sua maioria não agradam o leitor, talvez por mostrar as facetas negativas do ser humano ou por suas ações no decorrer da história. Contudo, são personagens muito bem construídos e desenvolvidos, mostram o melhor e o pior do ser humano. São personagens reais.
J. K. Rowling apresenta os personagens, suas situações sociais de uma forma que faz com que o leitor entenda porque o personagem age do jeito que age. É um livro pesado, com temáticas pesadas e mais adultas. 
A disputa política existente no livro pela vaga que Fairbrother deixou no conselho é uma parte que deixa a história um pouco arrastada, mas o que acontece nos círculos sociais com os outros personagens é interessante e move a narrativa. A autora aborda também os conflitos entre as diferentes classes sociais existentes em Pagford e como as vidas dos personagens são interligadas, sendo Barry Fairbrother quem une todas essas histórias.

A morte de Barry Fairbrother é o catalisador para todos os outros eventos. Muitos deles, trágicos. Confesso que fiquei com um aperto no coração e no final, me importei com personagens que no início eu não me importava. J. K. Rowling soube conduzir a narrativa de uma forma maravilhosa, criando uma pequena cidade e dando vida a ela, dando vida aos personagens tornando-os reais.


7 comentários:

  1. Eu tinha lido uma resenha que falava exatamente o que você postou: a JK mostra o lado negativo do ser humano com uma clareza de dar medo. É verdade que as 200 primeiras páginas são cansativas? Eu ainda tô muito pé atrás com medo de não gostar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não achei cansativo, mas entendo o que as pessoas achem cansativo. É um livro com muitos personagens e muitas histórias. O importante e superar a expectativa "potteriana".

      Excluir
  2. Um livro animal; gostei demais e não achei arrastado em momento algum. O final é mesmo de deixar o coração apertado, e mostra como a dinâmica da cidade de Pagford é verossímil; tristemente verossímil, aliás.
    Se todos os livros adultos de Rowling forem do nível de Morte Súbita, certamente terão lugar cativo na minha estante. =)

    Um beijo, Livro Lab

    ResponderExcluir
  3. Recentemente adquiri esse livro e quero muito lê-lo! Mas antes disso, tenho que ler os demais que estão na minha meta há seculos. Quando o fizer, espero que eu goste bastante do livro, mesmo com a temática mais pesada, porque já li vários comentários negativos (você foi uma das primeiras que gostou do livro que eu tenha visto).
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi,
    Admito que não tenho vontade de ler esse livro, e não tem nada a ver com Harry Potter, porque nem sequer li os livros da saga.rsrs
    Com relação a Harry Potter tenho vontade de ler e compreender porque as pessoas gostam tanto dessa série.
    Beijo

    http://allmylifeinbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Jesus, uma resenha sensata sobre esse livro, finalmente.
    Sinceramente, moça, obrigado pela sua sinceridade e instrospectividade ao escrever sobre "Morte Súbita", porque toda resenha que eu procurei só sabia falar que "tem muito palavrão e J. K. Rowling tem que parar de querer fazer isso pra se desligar de Harry Potter" (vi coisas com quase as mesmas palavras na maioria das resenhas que li). Eu, pessoalmente, adoro tramas que envolvem dramas em situações que muitos de nós não dariam importância. Assim como a série Downton Abbey, que é riquíssima e profunda e se passa "apenas" dentro de uma grande propriedade na Inglaterra aristocrata do começo do século XX, tenho certeza que "Morte Súbita" me interessará não só pelo teor profundo e mais adulto que Tia Jô resolveu abordar, mas também porque é uma trama aparentemente "diminuta": é "apenas" a morte de um chefe de uma cidade pequena da Inglaterra. Aposto que a riqueza e pluralidade em tão pequeno espaço irá me arrebatar loucamente. *-*
    Obrigado pela resenha! Adorei, adorei, adorei. Salvei seu Blog nos Favoritos, porque, né. <3

    O Contofadista:
    http://ocontofadista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabi!

    Estou com Morte Súbita encostado na estante desde que comprei quando o livro lançou aqui no Brasil. Ainda não tive coragem de pegar pra ler já que vi muitos comentários negativos. Sua resenha me animou e pretendo tirar a poeira desse livro, espero não me decepcionar.

    Beijo;*
    Naty.

    ResponderExcluir