12 de dezembro de 2013

Resenha: Garota, Interrompida - Susana Kaysen

Girl, Interrupted é um conjunto de pequenos fragmentos que relatam o período que Susana Kaysen passou em um hospital psiquiátrico. Ela tinha dezoito anos quando após uma tentativa de suicídio ingerindo cinquenta pílulas de aspirina, foi diagnosticada e internada voluntariamente.
O livro não é narrado de forma linear, os capítulos mostram pedaços da sua vida no hospital e um pouco dos pensamentos dela sobre tudo que estava acontecendo em sua vida. O leitor não tem uma visão ampla sobre os acontecimentos e sobre o que Kaysen sentia até os últimos capítulos do livro, onde, muitos anos depois, ela analisa o seu diagnóstico.
Doenças mentais não são curadas, a pessoa apenas aprende a lidar com ela da melhor maneira possível. O livro é ambientado nos anos 60, onde o diagnóstico e a aceitação dessas doenças não é como hoje, era uma realidade diferente e através da narrativa da autora, ela passa como os doentes eram tratados e vistos.
Os fragmentos são compostos também por cenas entre Susana e suas companheiras de hospital. Todas as cenas são diretas, sem muitas explicações e enrolações de narrativa. A essência do livro é facilmente perceptível através das palavras da autora. É perceptível um pouco da forma de como ela se sentia deslocada no mundo, sentindo-se completamente sozinha por não querer as mesmas coisas que todos os outros.
Susana Kaysen analisa também o que é ter um distúrbio de personalidade e vários outros tópicos referentes a isso. Foram às partes que eu mais gostei do livro, quando ela permitia que eu entrasse em sua mente e conseguisse entender um pouco do modo que ela pensa. Ela analisa seus pensamentos de suicídio e seus problemas de imagem e aceitação na sociedade.
“Garota, Interrompida” é um livro denso, sem muitos momentos leves a autora mostra a realidade de hospitais psicológicos nos anos 60 e a realidade de sua mente complicada de se entender. Eu pessoalmente, gosto muito de livros com essa temática e esse me deixou pensando muito em tudo que a autora escreveu.  Recomendo.

3 comentários:

  1. Olá Gabi,

    Eu não tinha ideia sobre o assunto tratado neste livro, mas confesso que ao ler a tua resenha fiquei muito interessada. Gosto de livros que nos fazem refletir, ainda mais quando envolvem um pouco de História e a mudança de comportamento e visão dos tempos. É sempre bom fazer comparações entre a visão da nossa sociedade atual e o passado, ver o que mudou e o que continua igual.
    Pode parecer estranho, mas gosto de bons livros que trazem a tentativa de suicídio em suas páginas. Precisamos ter a mente aberta para tentarmos nos colocar no lugar daquela pessoa e compreender a situação pela qual ela estava passando.
    Amei a tua indicação e pretendo segui-la em breve. Ótima resenha!

    Beijocas,
    Samy.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabi
    Minha irmã quer ser psiquiatra, mas independente disso, esse livro parece ser super interessante, também por contar a história de uma doente mental dos anos 60. Minha irmã vive dizendo isso, clareando a nossa mente - ou nem tanto - sobre a diferença de doença pra distúrbio, ou seja lá o que ela diz, haha! Gostaria de dar esse livro de presente para ela, e também lê-lo :D

    Clara
    @mmundodetinta
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi,
    Essa semana já é a segunda resenha que leio sobre esse livro, que parece incrível.
    Este assunto, tão sério e tratado com tanta veracidade retratado pela própria personagem deve ser realmente muito bom.
    Espero poder ler o livro em breve, pois sua resenha me deixou ainda com mais vontade! :)

    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir