7 de abril de 2014

Resenha: Carta a D. - André Gorz

André Gorz foi um filósofo austro-francês nascido em 1923 e o primeiro livro que eu li do autor, foi o último que ele escreveu e publicou. Pesquisei um pouco da vida do autor e cheguei a conclusão que “Carta a D.” não reflete exatamente o resto do trabalho dele, é um livro diferente com um propósito diferente.
O livro é uma espécie de carta do autor para sua esposa Dorine, que foi diagnosticada com uma doença terminal. Logo nas primeiras páginas ele comenta que apesar da enorme importância que ela teve em sua vida, ele nunca chegou a mencionar ela honestamente em um livro.
Em cerca de sessenta páginas, André Gorz conta a história de como ele e Dorine se conheceram e como suas vidas seguiram a partir desse encontro. Ele adiciona suas visões de mundo, no que ambos acreditavam e também em ideias onde seus pensamentos divergiam.
“Nós tínhamos um mundo em comum, do qual percebíamos aspectos diferentes. Essas diferenças eram a nossa riqueza”.
É uma narrativa simples e é visível que o intuito do autor era exatamente isso. Escrever honestamente sobre sua mulher e sobre suas vidas. Ainda assim, é um livro bastante significativo. André Gorz narra essa carta brilhantemente transferindo para o leitor seus pensamentos e emoções. Pode-se ver como Dorine era importante para o autor e como ele não conseguia imaginar uma vida sem ela.
Em 2007, o casal cometeu suicídio por esse motivo. A vida sem o outro não teria mais importância. O autor não chega a comentar sobre a ideia de suicídio na carta, contudo é claramente perceptível a dependência que um tinha do outro.
“No final das contas, só uma coisa me era realmente essencial: estar com você. Eu não posso me imaginar escrevendo se você não mais existir. Você é o essencial sem o qual todo o resto, importante apenar porque você existe, perderá o sentido e a importância”.
É uma história muito bonita, forte e o autor sobre transcrever seus pensamentos de uma forma magnifica para meras palavras em um papel. É um livro curto, mas muito completo e bem escrito.

6 comentários:

  1. Deus. Que livro pesado. Você deve ter gostado bastante dele, não? Gosto de leituras nessa vibe também, mas acho que eu ficaria melhor se lesse e não soubesse que eles cometeram suicídio juntos dessa forma... Shakespeariana. Mas, ainda que triste, é lindo saber que dois seres humanos encontraram um no outro o verdadeiro amor e a verdadeira felicidade conjugal. É tão raro. E, ainda que tenha culminado num desastre, saber que existiu já é um conforto.
    Lindo livro. Linda resenha.


    Achou O Quê?:
    http://achouoque.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi, tudo bem?
    Te vi no Ninhada Literária falando sobre a UFCSPA e vim comentar... sou ex-aluna de lá hahaha =P
    Adorei o post. Achei os trechos que você separou bem emocionantes e achei especialmente triste (e lindo) descobrir que o casal cometeu suicídio pra poder ficar junto. </3
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gabi.

    Não conhecia esse livro, se já o vi por aí não recordo. Mas é quase certo que nunca li nada a respeito desse livro por aí, não acredito que teria esquecido uma história como essa. Forte. Intensa. Trágica.

    Beijos, boas leituras!
    Amanda - Lendo & Comentando

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi!

    Não conhecia o livro mas parece ser um história bem intensa, acho que no momento certo adoraria lê-lo.

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post ! Continue assim se for possivel entre no blog amor : obg bjos http://depoisquetudocomecou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Mais uma dica maravilhosa, Gabi! Não conhecia o livro, mas fiquei encantada com a maneira com que o autor encontrou de "eternizar" seu amor por Dorine. No entanto, também fiquei um pouco "uau, nossa!" com o suicídio do casal.
    Adorei as citações escolhidas e já adicionei o livro a wishlist, claro! hahaha

    Ps.:Terminei de ler "Quem é você, Alasca?" agora pouco e só de lembrar já começo a chorar. Sempre que leio/escuto algo sobre John Green, lembro de você! ♥

    Beijocas,
    Samy.

    ResponderExcluir