12 de junho de 2014

Filme: A Culpa é das Estrelas

O que eu esperava da adaptação de um livro que significa muito para mim? Bastante. Eu realmente tinha altas expectativas em relação ao filme de TFIOS e agora posso felizmente dizer que eu não me decepcionei. O filme é lindo.
Vocês sabem que eu não sou a melhor crítica de filmes que existe e realmente, eu não assisti a esse filme com um olhar crítico. Assisti ao filme com o olhar de quem esperou tanto tempo por esse momento, viu todas as etapas de gravação e estava extremamente ansiosa.
É uma adaptação extremamente fiel. A essência do livro é muito bem representada, com todo o humor, tristeza e honestidade. A atuação de todos os atores em surpreendeu bastante e deram um rosto e corpo aos personagens da minha mente. Eles fizeram isso de uma maneira maravilhosa, natural e com respeito a tudo aquilo que o John Green escreveu.
A trilha sonora é maravilhosa e é incrível o poder que tem em colocar a música certa na cena certa. Colocar a música do Ed Sheeran nos créditos finais foi uma ideia bem cruel da parte deles. Enfim, tudo se encaixou de uma forma muito bonita. O filme tem um ritmo bom, as cenas em Amsterdam são maravilhosas e está tudo ali. Tudo.
Algo que eu gostei muito foi que eles não exageraram em nada. Não houve um glamour desnecessário na parte de roupas e maquiagem; isso era algo que me preocupava antes. É simples e essa simplicidade que tornou o filme tão incrível para mim.
Eu já comentei que eu chorei? Pois é. Eu chorei e não foi pouco. Eu comentei na minha resenha que mesmo já lendo o livro quatro vezes eu não criei resistência à história. Assistir ao filme foi bem pesado. Não foi um choro que durou só durante o tempo do filme e sim um que me acompanhou até em casa e durante uns quarenta minutos da madrugada. Resumindo: acho que eu não me senti só triste ao final de tudo, mas senti dor também. Uma dor emocional bem forte. (Terminar de reler o livro e assistir ao filme no mesmo dia não foi uma das minhas melhores ideias, confesso. Já é triste passar por tudo uma vez por dia, apenas).
Acho que foi mais difícil do que ler (ver as cenas + a trilha sonora = uma experiência completamente diferente) e foi tão bom como ler. Eu recomendo tanto vocês irem assistir ao filme, tendo gostado do livro ou não.
Acho que eu já disse bastante por aqui nos últimos dois anos que recomendo essa história. Enfim, agora eu posso dizer que recomendo o livro e o filme.
Não se esqueçam de me contar o que acharam!

7 comentários:

  1. Chorei em várias partes, achei uma adaptação maravilhosa, mas esperava ter me emocionado mais. Alguns diálogos que no livro me deixaram super alvoroçada, na tela do cinema não me pareceram ter o mesmo efeito. Mas ficou lindo, lindo, lindo!

    ResponderExcluir
  2. Oie!

    Sabe que eu fui ao cinema como vc, não fui para criticar e eu ameii o filme. Tbm achei ele bem fiel.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Fui pro cinema uma semana depois da estreia do filme, no mesmo dia que terminei de reler, com a certeza que iria chorar. E não aconteceu. Mas isso não tirou as qualidades do filme. Realmente, foi muito bem feito, e ainda tô chocada com a atuação desses dois, principalmente com a capacidade da Shailene de chorar tão verdadeiramente. Vou fazer um comentário sobre o filme lá no blog também ;)

    Clara
    @mmundodetinta
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi,
    Já trocamos alguns comentários sobre nossas percepções no twitter, mas realmente, é um filme incrível e fiquei extremamente (e ainda mais!) apaixonada pela história. Foi uma adaptação incrível. <3
    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gabi *_* Que bom que gostou bastante da adaptação! Eu também gostei, mas tenho minhas ressalvas quanto ao filme :X Primeiro, o público no cinema estragou a apreciação dele por mim, por que era gritaria do começo ao fim feita por crianças (malditas), meio posers e super inconvenientes --' rs Mas sobre o filme em si, as únicas coisas que não fizeram dele, pra mim, ser uma adaptação perfeita (como A Menina que Roubava Livros), foi o ator que fez o Gus (ele não me convenceu nas cenas dramáticas) e o tudo azul (achei tudo muito azul e muito pretensioso) :X rs Mas enfim, quero rever ele e ter uma opinião melhor, já que poderei apreciar melhor ele também ;}

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gabi! Adorei o seu post! Descreveu completamente o que eu senti ao ver o filme. Eu chorei muito assistindo e concordo completamente que foi mais difícil ver o filme do que ler o livro, tanto que chorei bem mais. Acho que só não chorei mais porque estava uma gritaria tão grande na sala e um monte de lanterninha procurando gente sem ingresso que foi difícil se concentrar só no filme. haha
    Mesmo assim, achei a adaptação excelente.
    Estou doida para ver a adaptação de Paper Towns agora e espero que seja tão boa quando a de ACEDE <3

    Beijos
    Julia

    ResponderExcluir
  7. Bem, primeiramente quero dizer que, estou me sentindo deslocado.Sou o único homem a comentar, até agora.
    "Segundamente", que concordo com tudo que foi dito sobre o filme. Não posso dizer que concordo com o que foi dito sobre o livro, ainda não pude lê-lo.
    Apesar de ser muito tocante, não cheguei a me emocionar. Fiquei triste por algumas horas, mas foi só isso. Em compensação, li "Looking for Alaska", e o Milles me fez chorar várias vezes. Acho que me identifiquei mais com esse romance, pq personagem principal é masculino.

    Lucas Faria
    www.facebook.com/outrocaminho


    ResponderExcluir