16 de julho de 2014

Resenha: Caninos Brancos - Jack London

“Caninos Brancos” é um dos livros que entra para a lista de leituras que realmente me surpreenderam.
Jack London vai abordar durante toda a narrativa a ideia de adaptação social. Como um animal considerado selvagem pode ser moldado a partir daquilo que acontece ao seu redor e a partir da maneira como ele é tratado. A narrativa em terceira pessoa acompanha Caninos Brancos, parte lobo e parte cão, durante a sua vida e durante os diferentes períodos em que ele teve diferentes donos. Esses donos são quem moldam Caninos Brancos dependendo de suas necessidades e expectativas.
Caninos Brancos percebe que é preciso se adaptar para sobreviver. É preciso entender as regras e entender que as regras vão mudando conforme as situações de vida mudam.
A minha parte favorita no livro, sem dúvidas é o capítulo sete. Vou comentar sobre essa parte mais detalhadamente na resenha porque eu acho que reflete bastante a ideia central do livro. Quando Caninos Brancos nasce, ele é mantido dentro de uma caverna por sua mãe. De dentro da caverna, ele vê a luz que vem do exterior e sempre que vai tentar sair sua mãe o puxa de volta. Condicionando ele a ficar dentro da caverna.
É ali onde Caninos Brancos aprende sobre as ‘leis’ da vida e aprende que quebrar essas leis resulta em consequências.
“Essas limitações e restrições eram leis. Obedecê-las era escapar da dor e contribuir para a felicidade”.
Após um tempo, a curiosidade e a vontade de descobrir o desconhecido falam mais alto que o medo do mesmo e Caninos Brancos vai explorar o lado de fora.
“O instinto e a lei exigiam dele obediência. Mas o crescimento exigia desobediência. A mãe e o medo o impeliam a manter-se longe da parede branca. Crescimento é vida, e a vida está sempre destinada a se aproximar da luz”.
O lado de fora permite que o desconhecido torne-se conhecido. Esse aprendizado não é algo fácil, é algo que causa dor e desconforto, mas é algo necessário de ser feito.
A partir desse primeiro contato com o mundo real, Caninos Brancos vai precisar se adaptar novamente a diversas situações e todas essas adaptações são feitas a partir de tentativas de erros e acertos. O narrador comenta diversas vezes durante o livro como Caninos Brancos faz isso inconscientemente, diferente dos seres humanos.

A narrativa de Jack London é incrível, a abordagem da temática da adaptação social e condicionamento de comportamentos é maravilhosa e com certeza é um livro que acrescenta muito ao leitor. É uma leitura diferente, uma leitura que foi me conquistando aos poucos e que eu recomendo muito. 

2 comentários:

  1. Esse livro é excelente e inspirou centenas de histórias com o passar dos anos, até Conan tem um pouco de Caninos Brancos. rs

    :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi,
    Sua resenha me deixou dividida!
    Acho a premissa interessante, mas, não sei se esse tipo de escrita e desenvolvimento se encaixariam para mim.
    De qualquer forma, fiquei curiosa! Vou anotar aqui e se houver oportunidade, lerei!!
    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir