20 de setembro de 2014

Resenha: Profissões para mulheres e outros artigos feministas - Virginia Woolf

“Profissões para mulheres e outros artigos feministas” é um livro que conta com sete escritos de Virginia Woolf. Foi meu primeiro contato com a obra de não ficção da autora e posso dizer que me surpreendi muito.
A autora viveu entre 1882 e 1941, contudo, a maneira como ela fala sobre o papel da mulher na sociedade e sobre o feminismo é extremamente atual e bastante avançada para época. 
O primeiro texto é chamado “Profissões para mulheres” e Woolf fala sobre as diferenças de ser escritora mulher na época em que ela começou a escrever. Ela fala sobre os bloqueios que as mulheres sofrem na hora de escrever honestamente sobre aquilo que desejam. 
“(...) Falando sem metáforas, ela pensou numa coisa, uma coisa sobre o corpo, sobre as paixões, que para ela, como mulher, era impróprio dizer. E a razão lhe dizia que os homens ficariam chocados (...) Pois, embora sensatamente os homens se permitam grande liberdade em tais assuntos, duvido que percebam ou consigam controlar o extremo rigor com que condenam a mesma liberdade nas mulheres”.
Para Virginia Woolf, as mulheres têm muitos fantasmas a combater e muitos preconceitos a vencer enquanto escreve. E que vai levar muito tempo até uma mulher conseguir exercer a profissão de escritora (e qualquer outra) sem fantasmas a combater no caminho.
O quarto texto consiste em uma troca de cartas entre Virginia Woolf e Desmond MacCarthy que havia publicado uma resenha onde comentava sobre a inferioridade da mulher comparando ao homem. A discussão dos dois levanta assunto como “se as mulheres são igualmente capazes, porque elas não abriram caminho com suas conquistas” e trás respostas de que “elas não tinham espaço para abrir esses caminhos sozinhas”.
O resenhista escreve em resposta a Woolf que “Nada me convencerá de que uma mulher, vivendo na mesma época e em condições mais favoráveis do que as deles, se tivesse mostrado a mesma capacidade e paixão intelectual instintiva, não teria feito o que eles fizeram” e sabemos que os homens tinham essa facilidade em ter acesso ao conhecimento porque não eram vistos como seres inferiores. O caminho deles não era preenchido por pedras e fantasmas.
Virginia Woolf responde que a única explicação que ela vê na ausência de boas e más escritoras é:
“não consigo conceber nenhuma razão a não ser alguma restrição externa a suas capacidades (...) Por que, a não ser que estivessem forçosamente proibidas, não expressaram esses talentos na literatura, na música ou na pintura?”
Outro ponto abordado pela autora nessa discussão, é que as mulheres precisam de liberdade de expressão, para que possam divergir dos homens sem receio, para que elas possam criar com a mesma liberdade dos homens e ver suas opiniões sendo respeitadas.

Comentei sobre esses dois artigos por terem sido meus favoritos e abordarem de forma abrangente as opiniões da autora. É um daqueles livros que você tem vontade de sair dando de presente para todo mundo porque vale muito a pena. Virginia Woolf aborda o feminismo de uma forma incrível e de uma forma extremamente honesta. É uma leitura muito recomendada, é um livro curto, rápido e simples de ser lido. É um livro com muito conteúdo e muitos tópicos importantes para discussões e para serem pensados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário